Manifestantes contra restrições confrontam-se com a polícia em Londres

Durante o protesto, viam-se cartazes que diziam “Liberdade, ao invés do medo”, “Onde está a pandemia?”, “Os media são o vírus”, “Covid-1984” Não consentimos”.

Milhares de pessoas manifestaram-se hoje em Londres contra as restrições impostas no âmbito da pandemia de covid-19, entrando em confronto com a polícia, depois de esta tentar dispersá-las ao verificar o incumprimento do distanciamento social.

Pelo menos três manifestantes e um agente foram socorridos pelas equipes médicas, segundo os media locais, no final de uma concentração que foi convocada para o centro de Trafalgar Square, em Londres.

Durante o protesto, viam-se cartazes que diziam “Liberdade, ao invés do medo”, “Onde está a pandemia?”, “Os media são o vírus”, “Covid-1984” Não consentimos”.

A maioria dos participantes no protesto contra o “novo normal” não usava máscaras, o que não é obrigatório no Reino Unido nas zonas exteriores a bares e lojas.

As manifestações no Reino Unido não necessitam de cumprir a regra que impede que mais de seis pessoas se juntem, mas os organizadores têm de comunicar antecipadamente um plano de riscos e a distância social entre as pessoas deve ser sempre respeitada.

Em comunicado, a Polícia Metropolitana de Londres garantiu que a manifestação “não cumpriu as condições de plano de risco e que estava a colocar as pessoas em risco” de contágio.

As autoridades pediram aos manifestantes para dispersarem e em seguida um numeroso contingente de polícias avançou na direção do protesto para dispersá-lo, acabando por haver confrontos.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, ordenou esta semana o encerramento de bares e restaurantes a partir das 22:00 horas e reforçou a obrigação do uso de máscara nas lojas e transportes.

Ler mais
Recomendadas

Líderes europeus querem evitar a todo o custo novo encerramento de fronteiras, sublinha António Costa

No final do Conselho de Ministros extraordinário desta quinta-feira, António Costa explicou os compromissos e estratégias acertadas entre os líderes dos 27 estados-membros do bloco europeu, sublinhando que a responsabilidade de conter a pandemia e evitar o colapso dos sistemas de saúde é, agora, de cada um “individualmente”.

França vai gastar 15 mil milhões de euros com medidas de contenção para conter novo coronavírus

“Vamos reforçar todos os dispositivos de ajuda”, afirmou o governante, especificando que seis mil milhões respeitam a fundos de solidariedade, sete mil milhões para desemprego parcial (o designado ‘lay-off’), mais de mil milhões para exonerações de contribuições sociais e outro tanto para assumir custos de empresas com alugueres.

“Não desistimos de nenhuma batalha antes de acabar”. PCP apresenta propostas de alteração ao OE 2021

Entre as medidas apresentadas, no campo da justiça fiscal, João Oliveira anunciou que os comunistas pretendem a “atualização dos escalões IRS, o aumento de mais um escalão neste imposto aumentando a progressividade do mesmo, bem como o aumento dos chamados valores do mínimo de existência e dedução especifica, permitindo cumprir o objetivo de redução da tributação dos rendimentos mais baixos, intermédios”.
Comentários