Manuel Salgado diz que “a vida pública e política piorou muito” nos últimos 12 anos

O vereador do Urbanismo da Câmara de Lisboa, Manuel Salgado, defende, na sua carta de renúncia, que “a vida pública e política piorou muito” ao longo dos últimos 12 anos, possibilitando a “manipulação dos ‘media’ e a difusão da mentira”.

“O clima de sectarismo, a possibilidade de manipulação dos ‘media’ e a difusão da mentira, da violência, e até do ódio, através das redes sociais, dificultam o diálogo sereno, o confronto de argumentos e a discussão aprofundada dos fundamentos das propostas”, considera Manuel Salgado, no documento endereçado ao presidente da câmara, Fernando Medina, com data de 15 de julho, ao qual a Lusa teve hoje acesso.

O autarca justifica a sua demissão com a necessidade de “renovar os decisores e os procedimentos, abrindo novas perspetivas e permitindo novos olhares sobre os projetos para a cidade”, acrescentando que na altura da constituição das listas para as últimas autárquicas quis que “ficasse logo salvaguardada a possibilidade” da sua substituição a meio do mandato.

“Nesse sentido, e porque entendo ter chegado o momento daquela renovação, venho apresentar a minha renúncia ao mandato de vereador da Câmara Municipal de Lisboa”, lê-se na carta.

Manuel Salgado, de 75 anos, é vereador do Urbanismo na Câmara de Lisboa desde as eleições intercalares de 2007, tendo também sido vice-presidente da autarquia até às autárquicas de 2013, ano em que Fernando Medina, atual presidente, passou a ser o braço direito de António Costa, então líder do executivo municipal socialista.

O autarca destaca a aprendizagem adquirida com os profissionais e munícipes com quem trabalhou durante os 12 anos à frente da pasta do Urbanismo na capital, considerando que foram anos “gratificantes pelo legado” deixado “no planeamento urbanístico, na reabilitação urbana, e numa nova forma de viver a cidade, expressa na valorização e qualificação do espaço público”.

“Mas foram também 12 anos desgastantes. Desgastantes pelas invejas e inimizade que se criam no exercício destas funções, pelas suspeitas, insinuações e anátemas que nos pretendem colar”, ressalva.

Manuel Salgado realça ainda que, “apesar da idade”, não se sente “esgotado fisicamente”, afirmando que tem ainda “muitas ideias e projetos que gostaria de realizar em prol de Lisboa”.

Numa entrevista divulgada hoje pelo jornal Expresso, Salgado avança com a possibilidade de se manter como presidente do conselho de administração da empresa municipal SRU – Sociedade de Reabilitação Urbana.

O socialista vai deixar o cargo de vereador do Urbanismo em setembro, de forma a assegurar uma transição tranquila da pasta, que passará a ser assumida pelo coordenador do Programa de Renda Acessível da Câmara de Lisboa, Ricardo Veludo.

Recomendadas

PS insiste que negociações do Orçamento do Estado para 2022 devem continuar na especialidade

José Luís Carneiro reforçou a intenção do PS em “apreciar as propostas” dos parceiros, mas com o propósito de “encontrar os pontos de equilíbrio e de bom senso”, na última das audiências que o Presidente da República manteve com os partidos nesta sexta-feira.

Catarina Martins sinaliza que “só não há um OE se o Governo não quiser”

A líder bloquista exemplificou algumas das áreas nas quais quer ver avanços no documento de OE, como o SNS ou as “longas carreiras contributivas”, esclarecendo ainda que “não se prende por questões formais”, pretendendo apenas “redações exatas das leis”.
Nuno Melo e Francisco

Nuno Melo abre e Rodrigues dos Santos encerra escola de quadros da Juventude Popular

Atual líder centrista e o eurodeputado que pretende ser o próximo presidente do partido não se irão cruzar no hotel de Portimão onde decorre uma ação de formação que conta com convidados como o social-democrata Miguel Pinto Luz e o socialista Álvaro Beleza, presidente da SEDES.
Comentários