Marcelo aprova aumentos de 700 euros para juízes, mas critica fosso salarial face aos polícias e militares

Marcelo Rebelo de Sousa destaca que os juízes, e membros de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas, já estão com salários mais elevados do que o primeiro-ministro. O Presidente exige que a desigualdade salarial seja “encarada na próxima legislatura”.

Miguel A. Lopes / Lusa

O Presidente da República aprovou o aumento salarial de 700 euros dos salários para os juízes conselheiros. A revisão do Estatuto dos Magistrados Judiciais, que beneficia principalmente magistrados em tribunais superiores, foi promulgada por Marcelo Rebelo de Sousa na terça-feira, 6 de agosto.

Este aumento vai permitir que os “escalões mais elevados da carreira da magistratura judicial” recebam “vencimentos de base mais elevados do que o primeiro-ministro”, o que acontece desde 1990, segundo uma nota do Presidente da República. “Com o presente diploma alarga-se e acentua-se essa disparidade”, sublinha.

Marcelo Rebelo de Sousa justifica a aprovação deste diploma, com o facto de o Parlamento ter aprovado este aumento salarial. “Corresponde tal fato a orientação parlamentar de valorização, em termos absolutos, da Magistratura Judicial, orientação que se compreende e aceita. Daí a razão de ser da promulgação do diploma”.

Mas o Presidente da República chama a “atenção para dois outros fatos merecedores de ponderação global e inadiável”.

“Um é a multiplicação de responsáveis públicos com vencimento de base superior ao do Primeiro-Ministro, indo de autoridades reguladoras e de supervisão a entidades públicas empresariais e empresas públicas, passando por outras entidades administrativas”, destaca Marcelo Rebelo de Sousa.

“O outro, ainda mais complexo, é o acentuar da desigualdade de tratamento em relação a outras carreiras com mais evidentes afinidades, nomeadamente a das Forças Armadas e as das Forças de Segurança”, critica o Presidente da República.

Para terminar, Marcelo Rebelo de Sousa diz esperar que a desigualdade salarial dentro do próprio Estado venha a ser resolvida no próximo Governo. “Certamente que tal desigualdade virá a ser encarada na próxima legislatura”.

Relacionadas

Magistrados vão ganhar tanto como um general após dois anos de serviço

Aprovação dos novos estatutos vai permitir a juízes e procuradores do Ministério Público ficarem com uma progressão mais rápida nas carreiras.

Magistrados do Ministério Público também vão ganhar mais do que o primeiro-ministro

O artigo que permitiu aumentar o teto máximo dos salários dos magistrados obteve o voto contra do PSD e do Bloco de Esquerda, como aconteceu previamente na votação dos juízes. Estes partidos também foram vencidos na norma que estabelece que o subsídio de compensação passa a ser pago em 14 meses, não sendo tributável em sede de IRS.

Subida do salário dos juízes. Quanto é que ganham os magistrados face ao primeiro-ministro e Presidente da República?

Os juízes podem vão receber mais que a remuneração mensal do primeiro-ministro,depois da proposta do PS e do CDS-PP ter sido aprovada no Parlamento. Quanto é que ficam a ganhar face ao salário do Presidente e do primeiro-ministro?
Recomendadas

Conselho de Ministros prepara-se para devolver ‘antigo normal’ aos portugueses esta quinta-feira

A próxima e última fase de desconfinamento prevê que restaurantes, cafés e pastelarias deixem de ter limite máximo de pessoas por grupo, quer no interior quer em esplanadas; estabelecimentos e equipamentos deixam também de ter limites de lotação, tal como os espetáculos culturais e eventos como casamentos e batizados. Mas regras só deverão entrar em vigor a 1 de outubro.

“Reabertura das discotecas pode contribuir para fim dos ajuntamentos”, diz presidente da junta do Bairro Alto e Cais do Sodré

“Desde o último desconfinamento que aumentaram bastante os ajuntamentos na freguesia, nomeadamente, na zona do Bairro Alto e na Zona do Cais Sodré. Estes ajuntamentos são muito superiores aos que se verificaram antes do Covid”, conta a autarca Carla Madeira.

Portugal prosseguirá no Conselho de Segurança durante o mandato de Guterres na ONU, afirma Presidente da República

Em declarações aos jornalistas em Nova Iorque, Marcelo Rebelo de Sousa mostrou-se confiante quanto à candidatura de Portugal a um lugar no Conselho de Segurança daqui a cinco anos, para a qual pediu na terça-feira a confiança dos Estados-membros da Organização das Nações Unidas (ONU).
Comentários