Marcelo diz que não sabe “o veredicto”, mas vai ouvir os partidos se OE2022 chumbar (com áudio)

“Prefiro e preferiria que o orçamento passe e passasse, mas a decisão soberana é da Assembleia da República”, reiterou esta quarta-feira Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República confirmou esta quarta-feira que os partidos com os quais fez diligências complementares antes do debate parlamentar sobre a proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) foram o PCP e o Bloco de Esquerda, os membros da gerigonça essenciais para dar luz verde ao documento.

Marcelo Rebelo de Sousa admitiu, porém, ter verificado “que era muito difícil a viabilização” do OE2022 devido à postura inflexível dos partidos de esquerda. Ainda assim, reafirmou esta que aceitará a decisão democrática tomada pelos deputados e diz “não saber qual o veredicto”.

“Prefiro e preferiria que o orçamento passe e passasse, mas a decisão soberana é da Assembleia da República”, referiu Marcelo Rebelo de Sousa aos meios de comunicação social, em declarações a partir de Cacia, em Aveiro. “Vamos esperar para ver a decisão da Assembleia da República. O parlamento só decide quando decidir. Temos de esperar”, sublinhou.

O chefe de Estado adiantou ainda que se o OE2022 chumbar irá ouvir os partidos com assento parlamentar. “Sempre desejei eu não chegássemos aqui”, concluiu.

Ontem, o Presidente da República anunciou publicamente que fez “diligências complementares” antes da discussão parlamentar “para ver se era possível haver entendimento”. “Sinto que fiz o que tinha a fazer”, defendeu Marcelo Rebelo de Sousa, depois de cinco horas de debate entre os deputados e na véspera de receber Eduardo Ferro Rodrigues em Belém.

Questionado pela imprensa sobre o impasse nas negociações, o Presidente respondeu que “não se ganha nada em estar a apurar responsabilidade naquilo que é o funcionamento normal das instituições democráticas”. “A Assembleia da República é quem vai decidir, com o voto dos deputados. É tão legítimo decidir num sentido como noutro. As consequências políticas é que são diferentes”, declarou.

A proposta de OE2022 foi entregue no Parlamento e apresentada pelo Governo há duas semanas e está a ser debatida e votada na generalidade esta tarde. No caso da especialidade, os partidos com assento parlamentar terão até 12 de novembro para propor mudanças. A votação final global no parlamento está marcada para daqui a mais de um mês, a 25 de novembro.

Relacionadas

Rui Rio deixa duras críticas a Marcelo por receber Rangel. “Não é minimamente aceitável”

Rui Rio não poupou nas críticas a Marcelo por receber um candidato à liderança do PSD num momento em que o país enfrenta a pior crise política dos últimos anos. O líder social-democrata considera que o encontro é uma forma de “condicionar o pais às eleições diretas do PSD”.

Rui Rio reafirma que deputados do PSD Madeira vão votar contra OE2022

O presidente do PSD voltou a reforçar o que tinha dito no dia anterior quando afirmou que tinha garantias de que os deputados do PSD Madeira iam votar contra o Orçamento do Estado para 2022.

OE2022: João Leão apela à esquerda para “não deitar tudo a perder” (com áudio)

João Leão garantiu que o Governo está disposto a “melhorar o Orçamento, com total espírito de compromisso”, na fase de especialidade. E agitou o cenário de uma vitória da direita em legislativas antecipadas ao referir que “o país não quer nem precisa de voltar aonde não foi feliz”.
Recomendadas

Covid-19. África do Sul ultrapassa três milhões de infeções

A África do Sul, que detetou a nova variante Ómicron e está a entrar na quarta vaga da pandemia, com um aumento exponencial de novas infeções, ultrapassou esta sexta-feira os três milhões de infeções pelo coronavírus SARS-CoV-2, segundo números oficiais.

Portugal regista mais 2.535 casos positivos e 21 mortes por Covid-19

Nas últimas 24 horas, foram retiradas 14 pessoas em enfermaria, para um total de 902. Nos cuidados intensivos foi colocado mais um doente (129 no total).

OMS diz que medidas aplicadas para travar variante Delta devem funcionar com Ómicron

O diretor regional da OMS para o Pacífico Ocidental alertou ainda que “enquanto a transmissão continuar, o vírus pode continuar a sofrer mutações”.
Comentários