Marine Le Pen diz que reeleição de André Ventura é “um bom presságio para as presidenciais”

Apoio da líder da Reunião Nacional junta-se ao de outras figuras do Identidade e Democracia, a família política mais à direita do Parlamento Europeu, na qual o Chega passou a estar integrado.

A líder do partido francês Reunião Nacional, Marine Le Pen, escreveu neste domingo no Twitter que a reeleição de André Ventura para a presidência do Chega é “um bom presságio para as eleições presidenciais em Portugal”. Neste momento, Ventura aparece em segunda lugar nas sondagens, apesar de todas indicarem que Marcelo Rebelo de Sousa conseguirá um segundo mandato logo à primeira volta em janeiro de 2021.

Marine Le Pen, que também procurará impedir a reeleição do presidente francês, Emmanuel Macron em 2022, sublinhou a dimensão da vitória do fundador e deputado único do Chega, que no ato eleitoral deste sábado obteve o apoio de 99,4% [a líder da Reunião Nacional mencionou 99,1%, ligeiramente abaixo do resultado final] dos militantes que foram às mesas de voto, com apenas 15 votos em branco e sete nulos.

A reeleição de Ventura levou a reações de outros dirigentes de partidos da Identidade e Democracia, a família política mais à direita no Parlamento Europeu, como o seu presidente, o eurodeputado belga Gerolf Annemans.

Mesmo sem conseguido eleger nenhum deputado para Estrasburgo nas eleições europeias de 2019, o Chega aderiu ao Identidade e Democracia no início deste verão, esperando a presença de uma delegação do grupo que junta partidos como a Reunião Nacional (França) e Liga (Itália) na II Convenção Nacional, que se realiza a 19 e 20 de setembro em Évora.

Ler mais
Relacionadas

André Ventura reeleito presidente do Chega com 99,4% dos votos

Militantes também votaram contra o regresso da pena de morte enquanto prioridade da luta política do partido, cujo líder reeleito estabeleceu como meta a chegada a terceira força política portuguesa nas próximas legislativas.
Recomendadas

Portugal pode ter papel central na definição da política da UE para África

O relatório aponta que Portugal “está em sintonia” com a proposta da Comissão Europeia, apresentada em março, para uma nova relação estratégica com África, que “recomenda uma relação mais forte e equilibrada entre as partes, inclusive através da cooperação em áreas-chave como a transição verde, a transformação digital, o crescimento e emprego sustentável, a paz e a governança e a migração e mobilidade”.

Eleições EUA: Irão e Rússia estão a tentar interferir nas presidenciais

Em relação à Rússia, o diretor nacional dos serviços de informação disse não haver provas até ao momento de que tenha utilizado as informações que obteve.

UE: Presidência portuguesa pode contribuir para relação pragmática com China

Portugal tem “uma das ligações mais antigas de qualquer país europeu com a China” e, “com a exceção do Estado Novo de Salazar, as relações entre os dois países sempre foram estáveis e frutíferas”.
Comentários