Mário Assis Ferreira: Sucessora vai continuar “obra de Stanley Ho em Portugal”

O gestor que trabalhou com Stanley Ho durante 30 anos acredita que a família do empresário pretende manter a sua participação maioritária na dona dos casinos do Estoril, Lisboa e Póvoa de Varzim. O vice-presidente da Estoril-Sol deixa elogios a Pansy Ho, filha do empresário nascido em Hong Kong.

Cristina Bernardo

Mário Assis Ferreira liderou os casinos do Estoril-Sol durante 28 anos até 2013. Desde então, já ocupou o cargo de presidente do conselho de administração e agora é o vice-presidente da dona da empresa que detém os casinos do Estoril, Lisboa e da Póvoa de Varzim, controlada maioritariamente pela Finansol de Stanley Ho (57,79%), seguida da Amorim, Entertainmet e Gaming Internacional com 32,67%.

O gestor trabalhou décadas com Stanley Ho e no dia da sua morte recorda o empresário de Hong Kong que viu pela última vez em 2015.

“Tenho 35 anos de Estoril sol, e 30 anos de convívio permanente com o Stanley. Tenho, portanto, vivência da superioridade daquele homem, na sua intuição, na sua objetividade, no seu amor por Portugal”, recordou Mário Assis Ferreira ao Jornal Económico. “É um homem que vai fazer muita falta porque era absolutamente impar, para além disso, era para mim um grande amigo, um irmão mais velho”.

“Hoje em dia quando se fala nos investimentos chineses em Portugal, as pessoas esquecem que há 35 anos, um grande empresário chines foi o pioneiro dos investimentos chineses em Portugal, e foram muitos, muitos, para além da Estoril-Sol, tantos que fica difícil enumera-los assim de repente”, sublinhou.

Stanley Ho era um dos homens mais ricos da Ásia com uma fortuna estimada em 6,4 mil milhões de dólares (5,8 mil milhões de euros).

Mário Assis Ferreira deixou elogios a Pansy Ho, filha do empresário e que ocupa atualmente o cargo de vogal na Estoril-Sol. “A única coisa que eu confio é que a sua sucessora, que foi indicada há mais de seis anos quando ele entrou numa fase de doença que o impossibilitava de uma vida ativa, que é a Pansy Ho, não deixará de ser a continuadora da sua obra em Portugal”.

Questionado sobre se acredita que a família de Stanley Ho pretende manter a sua participação na Estoril Sol, o gestor diz que sim. “Sem dúvida, essa é a minha profunda confiança”.

Os casinos da Estoril-Sol, tal como os restantes no país, estão encerrados desde meados de março devido à pandemia da Covid-19, não havendo ainda data para a abertura dos casinos. A 11 de abril, a empresa anunciou que colocou os seus trabalhadores em layoff, não avançando quantos foram abrangidos pela medida.

Mário Assis Ferreira recorda também a capacidade que o empresário de Hong Kong teve de reconhecer a forma diferente de fazer negócios em Portugal face à China.

“Deu-me uma margem de confiança, sem querer intervir assiduamente na nossa gestão. Deu-me uma margem porque sabia que toda a sensibilidade cultural e humanística ocidental era diferente daquela que ele tinha que enfrentar, em Hong Kong, Macau e na China. Isso foi altamente positivo”, afirmou.

Casado quatro vezes, o empresário teve 17 filhos. Antes de deixar a liderança da SJM Holdings em 2018, dividiu o seu império entre vários membros da sua família, que agora ocupam lugares de destaque nas suas empresas, como Pansy Ho, Daisy Ho, Lawrence Ho, ou a sua quarta esposa Angela Leong.

A SJM Holdings (Sociedade de Jogos de Macau) detém licença de jogo na antiga colónia portuguesa até 2022, contando com 20 casinos e três hotéis em Macau.

Recordando o último encontro que teve com Stanley Ho, em Hong Kong em 2015, recorda que o empresário pediu para  o auxiliarem a levantar-se da cadeira de rodas para dar um abraço a Mário Assis Ferreira. “Ele pediu para o levantarem da cadeira. Foi o último encontro que tive com ele, depois ele praticamente passou a viver no hospital”.

“Stanley era profundamente grato a Portugal pelo facto de enquanto Macau foi um território sob administração portuguesa, a sua relação com os governadores e consequentemente com as autoridades políticas portuguesas, lhe ter permitido desenvolver uma atividade que transformou uma vila de pescadores, Macau, num verdadeiro império de atividades económicas em que os casinos tinham uma prevalência total e representavam uma enorme maioria do PIB de Macau”, recordou o gestor.

“Há um reconhecimento que ele tinha por Portugal pelo facto de lhe terem facultado os meios para ele fazer aquilo que achava que devia fazer para trazer Macau para o plano que conseguiu, de facto, elevá-la”, concluiu Mário Assis Ferreira.

Ler mais
Relacionadas

Carlos Monjardino: “Stanley Ho foi determinante na minha vida”

Carlos Monjardino conheceu Stanley Ho em 1967 quando lhe foi pedido para mostrar ao empresário a Quinta da Marinha, em Cascais, com o objetivo de encontrar um terreno. Depois voltaram a encontrar-se em Macau, quando a STDM negociava com o Governo de Macau, de que o presidente da Fundação Oriente fez parte. Em 1988, partiu de Stanley Ho a iniciativa de criar a Fundação Oriente.

Mário Assis Ferreira: “Stanley Ho quis pôr-se de pé para me dar um abraço”

“Foi muito fácil a minha gestão da Estoril Sol com um acionista como Stanley Ho. Ele era um homem inteligente e tão perspicaz que compreendeu, desde o primeiro momento, que a realidade sociológica da China nada tinha a ver com a realidade sociológica de Portugal”, disse Mário Assis Ferreira em entrevista ao Jornal Económico em 2017 sobre o magnata do jogo que morreu hoje aos 98 anos.

Stanley Ho: Economista Sales Marques fala da morte de “o grande empreendedor de Macau”

“Stanley Ho não era ‘um’, mas ‘o’ grande empreendedor de Macau”, salientou o presidente do Instituto dos Estudos Europeus de Macau, argumentando que “essa ideia é aquela que melhor consegue materializar”, descrever “com sucesso” a figura do multimilionário.

Último governador de Macau recorda Stanley Ho como um “amigo de Portugal e dos portugueses”

“Recordo um homem inteligente, versátil, agradável no trato, respeitador das suas posições e das suas competências”, disse Rocha Vieira, comentando a morte do magnata, que teve o exclusivo do jogo no território durante 40 anos, um império que nem a liberalização do setor lhe retirou progonismo.

Magnata do jogo de Macau Stanley Ho morre aos 98 anos

O magnata do jogo de Macau Stanley Ho morreu hoje aos 98 anos, em Hong Kong, noticiou a imprensa local.
Recomendadas

PremiumEmpresas nacionais brilham nas tecnologias da educação

JP Inspiring Knowledge, Bi-Bright e ubbu têm uma palavra a dizer na ‘virtualeduca.connect’, que decorre de 21 a 23 de julho, sob o signo do futuro.

Setor dos recursos minerais otimista na recuperação da atividade

A preservativa de evolução da liquidez é mais otimista face ao mês de abril, apesar de 33% estimar um impacto negativo de 20% a 40% na liquidez.

Companhia aérea Emirates planeia eliminar até 9 mil postos de trabalho

Antes do início da pandemia da covid-19, a companhia aérea contava com 60.000 funcionários e, em 31 de maio, anunciou despedimentos, apesar de não especificar quantos seriam.
Comentários