Mário Centeno: “Parem de retratar a desaceleração como uma crise”

Mário Centeno reagiu às previsões económicas da Comissão Europeia, numa mensagem no Twitter, onde considerou que “está nas nossas mãos inverter a tendência e agir agora para reduzir” os riscos identificados.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, apelou a que não se retrate o desacelerar do crescimento económico como uma crise, através de uma mensagem publicada na rede social Twitter, esta quinta-feira, após a divulgação do Winter Forescat 2019 da Comissão Europeia.

“Parem de retratar o abrandamento como uma crise. Os riscos políticos estão a conduzir a esta moderação do crescimento previsto nas Previsões de Inverno da Comissão Europeia de hoje. Assim, está nas nossas mãos inverter a tendência e agir agora para reduzir esses riscos”, escreveu Centeno.

No Winter Forecast 2019, a Comissão Europeia (CE) prevê que o crescimento da zona euro deverá abrandar de forma acentuada este ano, devido a uma maior incerteza global, e depois de já ter registado uma desaceleração em 2018. Bruxelas reviu em 0,6 pontos percentuais as estimativas de outono do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano para os 1,3%. Já para 2018, estima uma expansão de 1,9% e para 2020, 1,6%.

Ainda que a economia portuguesa deva crescer acima da média da zona euro, Bruxelas também reviu em baixa ligeira as previsões de expansão do PIB português para este ano devido a uma contribuição mais fraca das exportações. Antecipa uma desaceleração para 1,7%, abaixo dos 1,8% das previsões de outono e da meta de 2,2% inscrita no Orçamento do Estado para 2019 (OE2019).

Ler mais

Relacionadas

Economia da zona euro deverá abrandar para 1,3% este ano

A Comissão Europeia está mais pessimista sobre a expansão económica da zona euro, devido à incerteza global. No ‘Winter Forecast 2019’ reviu em baixo as estimativas de outono, prevendo agora um crescimento do PIB de 1,3% para este ano.

Bruxelas está ainda mais pessimista sobre crescimento da economia portuguesa. Apenas 1,7%

Nas previsões de Inverno, a Comissão Europeia projeta uma expansão de 1,7% da economia portuguesa este ano e em 2020, abaixo da meta do Governo de 2,2%. Em relação à inflação, salienta que a subida nos preços da habitação deverá moderar devido à maior oferta e menor procura externa.
Recomendadas

Vendas dos lojistas com quebras de 37% face a 2019. Em Lisboa, a redução é superior a 40%

Por sector de atividade, a restauração continua a ser o setor mais afetado, com a descida das vendas a registar 49,1%, o sector de retalho 34,3% e o sector de serviços 38,5%.

DBRS prevê deterioração dos ativos da banca portuguesa em 2021

A agência DBRS prevê uma deterioração “mais pronunciada” da qualidade dos ativos da banca portuguesa em 2021, dada a flexibilização das moratórias, dos empréstimos com garantia do Estado e de outros apoios públicos relacionados com a pandemia.

Espanha prepara apoio extraordinário a quem já esgotou subsídio de desemprego

O Governo e os parceiros sociais espanhóis negociam um subsídio especial de 430 euros para quem esgote os apoios a que tem direito, bem como uma nova fórmula de cálculo para trabalhadores em layoff de trabalhos part-time
Comentários