Marques Mendes defende que imunidade de grupo pode ser atingida um mês antes com autorização da Janssen

“Grande benefício da revisão é que a imunidade de grupo podia ser atingida um mês antes. É só fazer as contas”, defendeu Marques Mendes, referindo que “os especialistas deviam rever a situação”.

O objetivo da task force da vacinação contra a Covid-19 é vacinar 70% da população até ao fim de agosto, mas Luís Marques Mendes defende que revisão da vacina da Janssen poderá fazer com que imunidade de grupo seja atingida um mês antes do previsto, sustentando que o mês de junho é decisivo para o progresso.

“As autoridades deviam repensar a Janssen”, disse o comentador da SIC, acrescentando que Portugal, Irlanda e o Luxemburgo são os únicos países da União Europeia que aplicam restrições aos grupos etários que podem receber a vacina da dose única. “Grande benefício da revisão é que a imunidade de grupo podia ser atingida um mês antes. É só fazer as contas”, defendeu Marques Mendes, referindo que “os especialistas deviam rever a situação”.

O ex-presidente do PSD relembrou que os principais grupos etários já estão praticamente vacinados contra o vírus, realizando um “balanço positivo” desde que o processo de vacinação se iniciou há cinco meses.

Entre o dia de hoje e de amanhã devem ser atingidos as cinco milhões de doses administradas contra a Covid, sendo que os dados disponibilizados pela task force à SIC ao dia de hoje mostravam que 3,3 milhões de portugueses já receberam uma dose e 1,6 milhões estão imunizados com as duas doses.

Luís Marques Mendes relembrou que a faixa acima dos 80 anos já tem 96% de imunidade, entre os 70 e os 79 anos, 95% da população já recebeu as duas doses e entre os 60 e 69 anos já 83% estão inoculados. O comentador afirmou que grande parte das mortes ocorreu nestas faixas etárias, sendo que agora que estão vacinados, o vírus não causa tanta mortalidade.

Na faixa dos 50 aos 59 anos, estima-se a vacinação de 1,4 milhões de pessoas, estando 30% já imunizados, correspondendo a 420 mil. Marques Mendes afirmou que a vacinação deste grupo já foi iniciada e que será acelerada na semana que se inicia amanhã, sendo que a vacina da AstraZeneca não está disponível.

Entre os 40 e os 49 anos, 1,5 milhões de portugueses já estão na fila para receberem a vacina, com 12% do grupo já imunizado, significando 150 mil vacinas já distribuídas por pessoas com comorbilidades. O processo irá abrir na segunda semana de junho com as vacinas da Pfizer e da Moderna.

Para o grupo dos 30 aos 39 anos, 8% dos 1,3 milhões de portugueses em espera já recebeu a vacina. Para este grupo, espera-se que o processo abra na quarta semana de junho com a distribuição a acontecer entre as vacinas da Pfizer e da Moderna.

Relacionadas

“Concelho de Lisboa deverá ficar em situação de alerta”, aponta Marques Mendes

O ex-presidente do PSD assumiu que o concelho está a passar por um “pequeno problema”, dado que já atingiu 120 casos por 100 mil habitantes.

Marques Mendes diz que audições de “maus empresários e gestores” geram “imagem inqualificável” para Portugal

“Acho que é inqualificável a imagem que estes senhores têm dado de si próprios ao país. É uma imagem de maus empresários, maus gestores, pessoas sem carácter, sem princípios, sem regras e sem valores, com muita arrogância, com enorme descaramento, para não dizer uma lata do outro mundo, e sem um pingo de vergonha”, considerou o comentador, referindo-se a Nuno Vasconcellos, Luís Filipe Vieira, Gama Leão e Moniz da Maia.
Recomendadas

Certificado digital e de recuperação: Sabia que tem de renovar ao fim de 180 dias? (com áudio)

Segundo o portal do Serviço Nacional de Saúde, quem foi vacinado há mais de seis meses têm que renovar o certificado digital para que seja válido.

Madeira regista mais 27 casos positivos e 15 recuperados de Covid-19

A Madeira passou de 227 para 239 casos ativos de coronavírus, 92 são importados e 147 de transmissão local. Existem 64 situações em estudo pelas autoridades de saúde.

Ilha de Santo Antão lidera cobertura da vacinação em Cabo Verde

O primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, e representantes de partidos políticos apelaram na segunda-feira à adesão da população à campanha de vacinação contra a covid-19, sobretudo na ilha de Santiago, onde o processo está mais atrasado.
Comentários