Marques Mendes: Ministro queria reconduzir Frasquilho na TAP, mas Costa vetou (com áudio)

O comentador aponta que esta é uma “nova derrota e pesada” para Pedro Nuno Santos no espaço de seis meses. “É mais uma desautorização ao ministro. Ele tutela a TAP, mas não escolhe os administradores”, escreveu no “Negócios”.

Flickr/PS

A TAP está a gerar “novas divisões dentro do Governo” devido às “guerras” entre o primeiro-ministro e o Pedro Nuno Santos, segundo Luís Marques Mendes.

O ministro das Infraestruturas queria que Miguel Frasquilho se mantivesse como presidente do conselho de administração da TAP, mas António Costa preferiu escolher Manuel Beja, de acordo com o comentador.

“Pedro Nuno Santos queria reconduzir a administração da TAP. Até convidou o seu presidente. António Costa vetou a proposta do ministro e escolheu outras pessoas. É mais uma desautorização ao ministro. Ele tutela a TAP, mas não escolhe os administradores”, escreveu Marques Mendes no seu artigo de opinião no Jornal de Negócios.

“Conclusão: as pessoas que saem da TAP são vítimas da guerra entre o primeiro-ministro e o ministro. O Governo é vítima da guerra da sucessão no PS. Só por sorte é que isto acaba bem”, segundo o antigo líder do PSD.

O comentador aponta que esta é uma “nova derrota e pesada” para Pedro Nuno Santos, depois de há seis meses ter sido “desautorizado” pelo primeiro-ministro quando viu vetada a sua intenção de levar o plano de reestruturação da TAP ao Parlamento.

Na semana passada, o Jornal Económico revelou que Manuel Beja, que esteve 19 anos na tecnológica Novabase, vai substituir Miguel Frasquilho à frente da TAP.

Também já foi nomeado um novo administrador financeiro para a empresa: João Weber Gameiro que liderou até agora a banca de investimento no BBVA Portugal, depois de passagens pelo Crédit Agricole Portugal, e o Santander Portugal.

A lista completa dos membros do Conselho de Administração é a seguinte:

Chief Executive Officer: Christine Ourmières-Widener
Chief Financial Officer: João Weber Gameiro
Chief Operations Officer: Ramiro Sequeira
Chief Corporate Officer: Alexandra Reis
Chief Commercial Officer: Silvia Mosquera
Chairman: Manuel Beja
Não-executivo: Patrício Ramos
Não-executivo: Ana Teresa Lehmann
Não-executivo: Gonçalo Pires
Não-executivo: José Manuel Silva rodrigues (indicado pela HPGB)
Não-executivo: João Duarte (indicado pelos trabalhadores)

 

Relacionadas

Pedro Nuno Santos sobre saída de Frasquilho: “quisemos iniciar esta nova fase com uma nova equipa”

Depois de Miguel Frasquilho ter confirmado a saída da TAP, Pedro Nuno Santos frisa que a decisão não foi motivada por uma “quebra de confiança”, mas sim, na necessidade da TAP avançar para uma nova fase com uma nova equipa.

Frasquilho: “não houve conjugação de vontades entre mim e o Estado para continuar” (com áudio)

“Nunca esquecerei a opção tomada pelo Governo, em representação do Estado, de salvar a TAP, e estarei sempre grato aos contribuintes que, com os seus recursos, numa altura particularmente difícil do País, viabilizaram a sobrevivência da TAP, permitindo trabalhar em prol de um futuro que, tenho toda a confiança nisso, tem todas as condições para ser risonho”, Miguel Frasquilho em carta aos colaboradores.

João Weber Gameiro é o novo CFO da TAP. Manuel Beja substitui Miguel Frasquilho como ‘chairman’

Além de Frasquilho, saem também os não-executivos Bernardo Trindade, António Gomes de Menezes e Fátima Castanheira Geada. Ramiro Sequeira deixa de ser CEO interino, regressando ao cargo de COO. Mantém-se no ‘board’ Alexandra Reis como Chief Corporate Officer, enquanto a espanhola Sílvia Mosquera entra como Chief Commercial Officer.
Recomendadas

Super Bock Group investe 30 milhões em Pedras Salgadas

A modernização do Centro de Produção de Pedras Salgadas e a expansão do Pedras Salgadas Spa & Nature Park, são os dois principais itens do novo investimento, que vai criar 30 novos postos de trabalho.

Greenvolt com resultados do semestre em queda de 82% para cerca de um milhão

O resultado líquido do exercício da empresa de energias renováveis foi de cerca de um milhão de euros, o que traduz uma queda de mais de 80% e reflecte a evolução do EBITDA.

Promotores de espetáculos apelam ao Governo: “verão já está perdido”

O apelo, com quatro medidas de caráter urgente, foi feito numa carta enviada a António Costa e divulgada aos jornalistas, nas vésperas de uma nova reunião do Conselho de Ministros e um dia depois de o Governo ter reunido com peritos, no Infarmed, em Lisboa, para analisar a situação epidemiológica da covid-19, em Portugal.
Comentários