Mastercard ajuda empresas a aumentar segurança do ecossistema de Open Banking

Todas as empresas estão a colaborar com a Mastercard através da Open Banking Protect para melhorar a capacidade de identificar fraudes num novo ecossistema e proteger melhor os respetivos negócios e clientes contra entidades terceiras não autorizadas.

A Mastercard anuncia que três empresas financeiras chave começaram a utilizar recentemente a solução Mastercard Open Banking Protect, que defende as instituições que gerem contas de clientes de fornecedores maliciosos ou não autorizados (TPPs, Third Party Providers).

A solução Open Banking Protect da Mastercard destina-se a melhorar a capacidade de combate à fraude no Open Banking e a aumentar a confiança das instituições financeiras ao aprovar pedidos de entidades externas.

“A solução oferece dois serviços-chave: a validação de licenças e certificados – verificação imediata da certificação e do estatuto de registo da TPP contra todos os diretórios relevantes; e  a monitorização de fraude – utiliza dados de rede sobre um determinado TPP para detetar tendências e alterações nas atividades regulares através da  monitorização de comportamentos, a fim de impedir pedidos potencialmente fraudulentos.

A Aion, DiPocket e a Modulr assinaram acordos para utilizar a solução Protect, “que é uma componente fundamental da Mastercard Open Banking Solutions™, cujo portefólio de aplicações e serviços de ponta líderes de mercado asseguram e protegem o ecossistema de Open Banking em toda a Europa”.

“Os parceiros anunciados incluem uma vasta gama de casos de uso – desde  um banco digital que recorre a Inteligência Artifical (Aion), a um fornecedor de tecnologia wearable pré-paga (DiPocket), assim como as principais alternativas de pagamentos como serviço (payment as a service) e transações comerciais com a banca para empresas (Modulr)”, diz a Mastercard.

A legislação PSD2 na Europa permite que os TPPs (Third Party Providers) acedam a contas bancárias, com o consentimento do cliente, para fornecer novos produtos e serviços; no entanto, as instituições que detêm as contas continuam a ser responsáveis pelos fundos. Por este motivo, é importante que as instituições financeiras tenham a possibilidade de verificar com rapidez os pedidos de Open Banking dos TPPs, com os quais podem não ter qualquer relação prévia, e assegurar que têm implementados sistemas robustos de deteção precoce capazes de dar os sinais de alerta perante potenciais fraudes.

 

Ler mais
Recomendadas

Principal acionista do Haitong Bank conclui aumento de capital de 2,4 mil milhões

Comunicado do banco chinês reporta o aumento de capital da sua casa-mãe, numa estratégia de crescimento na China

PremiumBruxelas autorizou Novo Banco a financiar venda de imóveis

Na constituição do Novo Banco, a DG Comp da Comissão Europeia autorizou a instituição a conceder crédito aos compradores do imobiliário vendido pelo banco.

Responsabilidades do BES para com o Fundo de Pensões dos administradores vão ser extintas

A ASF autorizou a extinção das responsabilidades com pensões do ex-administradores executivos do BES.
Comentários