PremiumMaus resultados eleitorais forçam direita a adotar nova estratégia

Já a pensar nas legislativas, PSD e CDS-PP redirecionam estratégias para reconquistar eleitorado. Conjuntura e divisão política à direita dificultam.

As eleições europeias deixaram um gosto amargo nos partidos da direita. Sem nunca falarem em derrota, tanto o PSD como o CDS-PP reconheceram que ficaram aquém do desejado e assistiram em silêncio ao desfecho eleitoral, que pintou o mapa português de cor de rosa. A missão agora é reconquistar o eleitorado a tempo das legislativas, marcadas para daqui a pouco mais de quatro meses, e, para isso, os dois partidos apostam numa nova estratégia política para evitar novo ‘falhanço’ em outubro.

O calendário é apertado e não há tempo a perder. “É bastante difícil para a direita inverter o resultado destas eleições. O que pode acontecer é o PSD e CDS-PP conseguirem melhorar o resultado e garantir uma boa representatividade da direita em outubro”, afirma ao Jornal Económico o investigador coordenador do Instituto de Ciências Sociais (ICS), António Costa Pinto. Também José Adelino Maltez, catedrático da Universidade de Lisboa, considera que a tarefa é difícil, mas que até outubro “muita coisa pode acontecer”.

Imeditamente depois de serem conhecidos os resultados oficiais das europeias – 21,94% dos votos no PSD e 6,19% no CDS –, o líder social-democrata, Rui Rio, veio dizer que “não vale a pena tapar o sol com a peneira” e que a elevada taxa de abstenção é prova de que é necessário mudanças na forma de fazer campanhas e convencer os eleitores a irem votar.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

PremiumMinutas da Fed sinalizam ‘tapering’ em novembro

Reserva Federal norte-americana sinalizou início do ‘tapering’ no próximo mês. Inflação pressiona ações. Começou a apresentação de resultados nos Estados Unidos.

PremiumA grande festa do vinho português

Ao fim de um ano de interregno devido à pandemia, regressa este fim-de-semana ao pavilhão 4 da FIL, no Parque das Nações, em Lisboa, a feira Vinhos & Sabores. Prova da grande expectativa em torno deste certame é o facto de já estarem confirmados mais de 300 produtores de todas as regiões do País, para participar nesta grande festa de celebração do vinho português.

PremiumPolitização da Justiça no caso catalão esbarra no Orçamento

Detenção do antigo presidente da autonomia catalã, Carles Puigdemont, desta vez em Itália, vem lembrar que Espanha tem um problema pendente. Mas quando se debate o primeiro Orçamento do Estado pós-pandemia há mais problemas.
Comentários