MDS é o único grupo ibérico no top 250 mundial das empresas de corretagem de seguros

A multinacional liderada por José Manuel Dias da Fonseca ocupa a 141ª posição no ranking mundial referente a 2020, com uma receita estimada em 79,4 milhões de dólares, refletindo o desempenho nos vários mercados onde está presente a nível global.

A MDS é o único grupo português e ibérico entre as 250 maiores empresas de corretagem de seguros do mundo, de acordo com o ranking recente publicado pela consultora internacional Insuramore, diz a companhia que opera na área da corretagem de seguro e resseguro e consultoria de riscos.

A multinacional liderada por José Manuel Dias da Fonseca ocupa a 141ª posição no ranking mundial referente a 2020, com uma receita estimada em 79,4 milhões de dólares, refletindo o desempenho nos vários mercados onde está presente a nível global.

Os 250 maiores brokers mundiais geraram receitas de 91,4 mil milhões de dólares em 2020, com destaque para o maior mercado: o norte-americano.

O ranking elaborado pela Insuramore conta com 26 brokers americanos no top 50 e 112 no top 250, e 55 brokers europeus, dos quais 28 de origem francesa e 11 de origem alemã, o que reflete a dimensão dos respetivos mercados. De referir que a MDS ocupa uma posição de destaque no top 30 europeu, sendo o único broker da Península Ibérica neste ranking.

No top 250 estão incluídos 10 grupos chineses, um mercado que tem exibido elevadas taxas de crescimento e com enorme potencial, fruto do desenvolvimento da economia e o aumento do rendimento disponível da classe média.

“A Brokerslink, empresa global de corretagem da qual a MDS é fundadora e acionista de referência e que está presente em mais de 120 países, conta com vários representantes no ranking. A receita agregada destes brokers totaliza 3,45 mil milhões de dólares, o que colocaria a Brokerslink na 5ª posição do top-250 mundial”, refere a nota.

Em 2020, a MDS em Portugal teve receitas superiores a 37,5 milhões de euros. “De referir que todas as unidades da MDS em Portugal registaram desempenhos positivos, com a maioria das empresas a apresentar um crescimento de dois dígitos das receitas e um nível de retenção de cliente superior a 90%”, acrescenta o comunicado.

A MDS em Portugal, na área de mediação e corretagem de seguro e resseguro, integra as empresas MDS Corretor de Seguros, MDS Auto, Moneris Seguros, Buzzee Insure (MDS Expat), Accive Insurance (MDS Accive); Iberosegur (MDS Special Insurance), MDS Link Solutions, Win Broker, MDS RE e RS Reinsurance Solutions.

Recomendadas

Caixa não pode “descurar o rigor” nem cometer “erros” após boas notícias, diz Paulo Macedo

“Se a Caixa se mantiver competitiva, se a Caixa assegurar uma boa ‘governance’, se a Caixa mantiver um rigor de crédito e melhorar as suas práticas e cada vez tiver mais próxima do cliente, se não fizer o oposto disto, eu acho que apesar do negócio bancário estar muito difícil, e dos proveitos ‘core’ bancários preverem-se estar estagnados, a Caixa tem uma boa base para prosseguir o seu caminho”, disse o CEO da CGD.

Impacto do fim das moratórias na banca será menor que esperado, diz CEO da CGD

“O final das moratórias afetará muitas empresas e muitos particulares – por exemplo no caso da CGD houve mais de 2.000 pessoas que nos pediram para restruturar os seus créditos e, portanto, restruturámo-los -, mas em termos macroeconómicos diria não se espera que o fim das moratórias cause um problema nos bancos, como estava dito, ou cause um problema enorme”, disse Paulo Macedo.

Moody’s melhora rating de seis bancos portugueses

A Moody’s realizou hoje ações de rating em seis grupos bancários portugueses – CGD, BCP, Santander, Novo Banco, BPI e Crédito Agrícola. A agência elevou as classificações de depósito de longo prazo de quatro bancos e a classificação de dívida sénior sem garantia (unsecured) de um banco. Também mudou a perspectiva dos ratings de depósito de longo prazo de três bancos e dos ratings de dívida sénior não garantida de um banco.
Comentários