Mecanismo extrajudicial de negociação dos lesados do Banif e BES aceite pelas comissões liquidatárias

A Ordem dos Advogados já tem proposta de Regulamento para mecanismo extrajudicial, destinado a identificar um perímetro de lesados não qualificados do Banif e também das sucursais exteriores do BES, diz o comunicado da ALBOA – Associação de Lesados.

Rafael Marchante/Reuters

A Ordem dos Advogados já tem proposta de Regulamento para mecanismo extrajudicial, destinado a identificar um perímetro de lesados não qualificados do Banif e também das sucursais exteriores do BES, diz o comunicado da  ALBOA – Associação de Lesados.

“Depois de uma aprofundada análise jurídica e atendendo às dissemelhanças face ao caso dos lesados de papel comercial do BES, propôs o Governo que fosse adotado um mecanismo diferente, célere e ágil com o desígnio de identificar um perímetro de lesados não qualificados, apto a instruir o requerimento de constituição de um Fundo de recuperação de créditos junto da CMVM, com vista a reduzir as perdas sofridas pelos lesados não qualificado. O referido mecanismo foi aceite pelas associações representativas dos lesados e pelas comissões liquidatárias do BES e do BANIF”, diz a associação.

Assim, na passada quinta-feira, dia 14 de Fevereiro, na sede da Ordem dos Advogados em Lisboa, decorreu uma reunião para apresentação de uma proposta de regulamento aos lesados, “tendo o Senhor Bastonário convidado o Governo para acompanhamento dos trabalhos”, lê-se no comunicado.

Estiveram presentes representantes do Gabinete do Primeiro Ministro e do Gabinete do Ministro Adjunto e da Economia e representantes dos lesados.

“A Ordem dos Advogados manifestou disponibilidade para a seleção de três peritos de reconhecido mérito e para acolher os trabalhos dessa mediação”, adianta ainda a ALBOA.

Nos próximos dias hacmvmerá novo encontro, “já com os peritos indicados pelo Bastonário da Ordem dos Advogados, no sentido de aprofundamento dos procedimentos da mediação e aprovação final do regulamento”, refere a associação.

 

Ler mais
Recomendadas
Miguel Maya

CaixaBank espera lucros de 48 milhões do BCP apesar da provisões para créditos em francos suíços na Polónia

Apesar das provisões de 121 milhões por causa dos créditos hipotecários em francos suíços, o CaixaBank estima que o BCP apresente resultados líquidos no primeiro trimestre de 48 milhões de euros.

Novo Banco vai tornar-se acionista da Promovalor por conversão das VMOC de Luís Filipe Vieira

“As VMOCs vão ser convertidas em capital da Promovalor, e é por essa via que o banco vai receber tudo”, disse o presidente da Promovalor. Depois do reembolso do fundo todo o remanescente vai para a Promovalor e o Novo Banco vai ser acionista da Promovalor.

Fundo que ficou com ativos da Promovalor está a negociar mais 2 ou 3 anos para pagar ao Novo Banco

“O fundo detido pelo Novo Banco que devia pagar 60 milhões em 2022 ao Novo Banco está a negociar um prolongamento de mais dois ou três anos por causa da pandemia”, revelou Luís Filipe Vieira.
Comentários