Menores de idade consomem cada vez mais drogas e álcool

De acordo com estudos citados pelo “Jornal de Notícias”, entre 2015 e 2019, assistiu-se a um aumento do consumo de bebidas alcoólicas e drogas ilícitas entre menores de 18 anos. Dados serão apresentados hoje em Assembleia da República.

Charles Platiau/Reuters

O consumo de drogas ilícitas e álcool tem vindo a aumentar entre os menores de idade em Portugal.

De acordo com um conjuntos de estudos citados pelo “Jornal de Notícias” esta quarta-feira, no que toca às substâncias ilícitas, no ano de 2019, sabe-se hoje que houve um aumento do consumo de outras drogas, que não canábis, nos alunos com idades entre os 13 e os 18 anos, bem como a diminuição do risco percebido associado ao consumo de drogas nos alunos de 16 anos. Por outro lado, entre os jovens de 18 anos também se notou um acréscimo do consumo de canábis entre 2015 e 2019.

Quanto às bebidas alcoólicas, as pesquisas indicaram um aumento, entre 2015 e 2019, do consumo recente e atual de álcool, e do binge e da embriaguez nos jovens de 18 anos, assim como em jovens alunos de determinadas idades, em particular nos de 16 anos; a não redução, entre 2015 e 2019, do início precoce do consumo de álcool e da embriaguez; e o aumento dos diagnósticos em que crianças/jovens assumem ou são expostos a comportamentos ligados ao consumo de álcool que afetam o seu bem-estar e desenvolvimento.

Os dados surgem no Relatório Anual sobre a Situação do País em Matéria de Drogas e Toxicodependência, o Relatório Anual em Matéria de Álcool e Respostas e Intervenções no âmbito dos Comportamentos Aditivos e Dependências e serão hoje apresentados na Assembleia da República.

Recomendadas

Bruxelas avalia até 2022 lei sobre viagens organizadas para proteger viajantes

A Comissão Europeia vai avaliar, até 2022, a diretiva europeia sobre viagens organizadas, dados “os desafios” criados pela covid-19 e pela falência do grupo Thomas Cook, para assim garantir “proteção robusta” aos viajantes da União Europeia.

Portugal regista mais 34 mortes e 394 casos de Covid-19

As autoridades sanitárias contabilizaram mais 1.258 pessoas recuperadas nas últimas 24 horas, elevando para 720.235 o número total de pessoas livres do vírus.

Vacina portuguesa contra Covid-19 poderá estar pronta em 2022, mas vai precisar de 20 milhões de apoio público

Sediada em Cantanhede, a Immunethep pretende arrancar com os ensaios clínicos ainda este ano para que mais tarde possa pedir uma autorização provisória de emergência de entrada no mercado. No entanto, para que estes prazos sejam cumpridos será necessário um apoio do Estado, explica Bruno Santos à JE TV “Fast Talk”.
Comentários