Metro de Lisboa: desconvocada greve prevista para Agosto

Funcionários do Metropolitano de Lisboa decidiram desconvocar a greve de 24 horas, marcada para os dias 1 e 3 de agosto, após o plenário geral de trabalhadores realizado esta tarde.

Rafael Marchante/Reuters

Os funcionários do Metropolitano de Lisboa decidiram desconvocar a greve de 24 horas, marcada para os dias 1 e 3 de agosto, após o plenário geral de trabalhadores realizado esta tarde.

“Foram suspensas as greves em resultado das reuniões com o Conselho de Administração. Houve um compromisso de ir ao encontro das questões ambicionadas pelos trabalhadores especificamente com a falta de trabalhadores em todas as áreas operacionais. Mas estaremos atentos aos desenvolvimentos e ao cumprimento dos compromissos”, disse Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores dos Transportes ao Jornal Económico.

Recorde-se que a greve tinha como motivo a falta de maquinistas, ao mesmo tempo que os trabalhadores se queixavam de um “clima de confronto”.

A Fectrans (Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações), queixa-se essencialmente de um “clima de confronto” e de uma “alteração unilateral das regras de prestação de trabalho e horários”, em comunicado esta manhã.

Relacionadas

Metro de Lisboa vai funcionar com perturbações durante esta tarde

Trabalhadores da empresa vão estar em plenário, pelo que o Metro avisa que o funcionamento estará condicionado.
Recomendadas

Caixa não pode “descurar o rigor” nem cometer “erros” após boas notícias, diz Paulo Macedo

“Se a Caixa se mantiver competitiva, se a Caixa assegurar uma boa ‘governance’, se a Caixa mantiver um rigor de crédito e melhorar as suas práticas e cada vez tiver mais próxima do cliente, se não fizer o oposto disto, eu acho que apesar do negócio bancário estar muito difícil, e dos proveitos ‘core’ bancários preverem-se estar estagnados, a Caixa tem uma boa base para prosseguir o seu caminho”, disse o CEO da CGD.

Moody’s sobe rating da CP

“A subida tem em conta as fortes ligações entre a Comboios de Portugal e o soberano, do qual recebe um apoio financeiro considerável”, considerou Francesco Bozzano, o analista da empresa na agência norte-americana, onde tem o cargo de analista vice-presidente-sénior.

Glovo vai entregar roupa da C&A na casas dos portugueses em 30 minutos

A startup startup pretende que quem abra a ‘app’ encontre tudo aquilo de que precisa, seja tecnologia, perfumaria, produtos de beleza, presentes, itens de papelaria ou casacos, uma das 500 referências da C&A que a empresa de entregas e comércio rápido irá disponibilizar.
Comentários