Metro de Lisboa: Mota Engil e Teixeira Duarte entregam propostas para a expansão da rede

A Teixeira Duarte foi a empresa que apresentou o orçamento mais elevado entre os proponentes respeitante à construção entre o término da Estação Rato e a Estação Santo.

Metro De Lisboa

As empresas de construção civil Mota Engil, Casais, Teixeira Duarte e Zagope entregaram propostas para a primeira fase da expansão da rede do Metro de Lisboa, de acordo com informação avançada pela empresa esta sexta-feira

Propostas visam a execução das empreitadas de projeto e construção dos toscos, respeitante à construção entre o término da Estação Rato e a Estação Santo, definido pelo Metro de Lisboa como Lote 1, e entre a Estação Santos e o término da Estação Cais do Sodré (Lote 2).

Relativamente ao primeiro lote, foram apresentadas quatro propostas: a Mota Engil apresentou uma proposta de 49,6 milhões de euros enquanto a Casais propôs um orçamento de 47,6 milhões de euros e a Zagope aproximou-se dos valores dos concorrentes com uma proposta de 48,6 milhões de euros. A Teixeira Duarte foi quem apresentou o orçamento mais elevado entre os proponentes: 77 milhões de euros.

Relativamente ao Lote 2, definido entre a Estação Santos e o término da Estação Cais do Sodré, ambas as propostas (Mota Engil e Teixeira Duarte) excederam o preço base definido para este concurso, algo que, de acordo com o Metro de Lisboa, obriga “obrigatoriamente, a exclusão de ambas as propostas”.

Caso se confirme a exclusão das duas propostas apresentadas para o Lote 2, o Metropolitano de Lisboa irá lançar novo concurso para adjudicação da empreitada de Execução dos toscos entre a Estação Santos e o término da Estação Cais do Sodré.

Este concurso enquadra-se no âmbito da concretização do plano de expansão da rede do ML para o prolongamento das linhas Amarela e Verde Rato/Cais do Sodré, “viabilizando a criação de um anel envolvente na zona central da cidade de Lisboa”, explica o Metro de Lisboa.

 

 

Ler mais
Relacionadas

Metro de Lisboa diz que “não há nenhuma derrapagem” nas obras de expansão

“Não há nenhuma derrapagem, o que há é a evolução normal dos concursos de obras públicas”, assegurou o presidente do Conselho de Administração do Metropolitano de Lisboa, apontando que a abertura ao público das novas estações Estrela e Santos se concretize em 2024.
Recomendadas

Desafios aos quais as organizações devem responder

É importante que os líderes atuem como agentes de mudança e articulem claramente as vantagens para a elevada satisfação no trabalho, incluindo a formação das chefias nas suas responsabilidades essenciais.

“Mercados em Ação”. “Vitória de Joe Biden nos EUA vai ajudar muito a EDP”

Na última edição do programa “Mercados em Ação”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Gomes da Silva, head of treasury and trading do Montepio, analisou os desafios do novo CEO da EDP, Miguel Stilwell, escolhido esta semana para gerir os destinos da elétrica até 2023.

“Mercados em Ação”. “Galp está a transformar-se. Fecho da refinaria de Matosinhos foi um exemplo”

Futuro da Galp e os desafios do seu novo CEO, Andy Brown, foram temas abordados na última edição do programa “Mercados em Ação”, da plataforma multimédia JE TV, Miguel Gomes da Silva, head of treasury and trading do Montepio.
Comentários