Microsoft em máximos históricos após divulgação de resultados

Vendas e lucro acima das expetatitvas permitiram às ações bater um recorde que vinha desde a bolha tecnológica em 1999.

O lucro da Microsoft cresceu 4% no terceiro trimestre do ano fiscal de 2017, para 4.700 milhões de dólares (4.299,6 milhões de euros), face a igual período do ano anterior. As receitas atingiram 20.400 milhões de dólares, tendo ficado acima do valor  antecipado pelos analistas.

A área de negócio que mais contribuiu para o resultado foi a ‘cloud’, que inclui a plataforma Azure e que cresceu 8,3%, para 6.270 milhões de dólares.

“Os nossos resultados no terceiro trimestre mostram uma continuada procura pelos nossos serviços na nuvem”, disse a vice-presidente-executiva e diretora Financeira, Amy Hood, ao apresentar as contas da multinacional norte-americana. “Esta transição para a cloud representa a maior oportunidade de mercado que vimos em muitos, muitos anos”, referiu ainda Amy Hood.

Pela negativa, o destaque vai para os serviços tradicionais que caíram 2%, para 9.300 milhões de dólares, nomeadamente pela queda nos telefones móveis.

Após a divulgação dos resultados, as acções da Microsoft ganharam cerca de 6% no período de pós-negociação, e bateram o máximo histórico que tinha 17 anos, anterior à bolha tecnológica do ano 2000.

Recomendadas

GNR lança operação intensiva de fiscalização a veículos pesados de transporte de mercadorias

Força policial considera que redução dos preços por parte de empresas de transportes é por vezes compensada com irregularidades que aumentam a receita “em detrimento da segurança rodoviária, sendo o cansaço o principal fator de risco que afeta os motoristas profissionais”.

Justiça inglesa perdoa 60 milhões de euros a Vale e Azevedo

João Vale e Azevedo foi declarado “exonerado da insolvência” que corria em Londres desde 2009, refere, em manchete, a edição deste domingo do “Correio da Manhã”.

Covid-19: Empresários da restauração em Faro pedem planeamento e regras mais flexiveís

Com o anúncio do Governo, na passada quinta-feira, de que à exceção de Albufeira e Portimão, os restantes concelhos algarvios avançam na segunda-feira para a nova fase de desconfinamento, proprietários de bares e restaurantes da capital algarvia queixaram-se de haver questões ainda por esclarecer.
Comentários