Microsoft usa pilhas de combustível para alimentar um centro de dados durante dois dias

O objectivo deste teste é permitir à Microsoft atingir a neutralidade carbónica até 2030.

Recentemente, a Microsoft anunciou que usou pilhas de combustível de hidrogénio para alimentar um conjunto de servidores durante 48 horas num data center em Salt Lake City, Utah.

Segundo a empresa, este teste é um passo importante em direcção ao objectivo de atingir a neutralidade carbónica em todas as operações até 2030.

Em Janeiro, a Microsoft revelou o seu plano para eliminar totalmente a “pegada de carbono” até 2030. Embora já tenha eliminado em grande parte a sua dependência dos combustíveis fósseis, ainda existem alguns data centers Azure que dependem de geradores a diesel. Como o custos relacionados com as pilhas de combustível de hidrogénio caíram bastante nos últimos anos a Microsoft decidiu testá-las para ver se podem servir de substitutos para os geradores a diesel.

A ideia de explorar a tecnologia de pilhas de combustível de hidrogénio neste contexto surgiu em 2018, quando uma equipa do National Renewable Energy Laboratory usou uma pilha de combustível com uma membrana de troca de protões (Proton Exchange Membrane ou PEM) para fornecer energia a um conjunto de computadores. Mark Monroe, um dos principais engenheiros de infra-estruturas de data centers da Microsoft viu esta demonstração e ficou intrigado pela tecnologia.

Pilha de combustível_MS
O sistema de pilhas de combustível de 250 Kilowatt construído pela Power Innovations para o teste no data center da Microsoft.
Crédito: Power Innovations

A equipa de Monroe desenvolveu um sistema de pilhas de combustível com uma potencia máxima de 250 kilowatts, que consegue alimentar uma fileira de servidores completa. Em Setembro de 2019, o sistema foi instalado no data center Azure em Salt lake City. E, em Junho, o teste de funcionamento de 48 horas foi bem-sucedido. A equipa planeia testar um sistema semelhante, mas com uma potência de 3 magawatts, que é a potencia de um grupo gerador de reserva a diesel típico de um data center.

Segundo Monroe, é possível ter um data center a funcionar exclusivamente através de pilhas de combustível e integrar estes sistemas com a rede pública de fornecimento de energia eléctrica para o fornecimento de serviços de equilíbrio de carga da rede.

PCGuia
Ler mais
Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Transportes Metropolitanos de Lisboa aprovado pelo Conselho Metropolitano

A Área Metropolitana de Lisboa detém a totalidade da empresa, que vai o património da empresa OTLIS – Operadores de Transportes da Região de Lisboa.
Comentários