Migrantes: GNR resgata 49 crianças na Grécia

As duas embarcações da UCC destacadas para o mar Egeu na costa das ilhas de Samos e Chios, resgataram um total de 49 crianças, 25 mulheres e 39 homens.

A unidade de controlo costeiro (UCC) da GNR resgatou 113 migrantes que tentavam alcançar território grego, durante a madrugada de 11 para 12 de setembro. As duas embarcações da UCC destacadas para o mar Egeu na costa das ilhas de Samos e Chios, resgataram um total de 49 crianças, 25 mulheres e 39 homens.

Para efetuar o resgate, a UCC utilizou a tecnologia de visão noturna e o radar, para poder identificar as embarcações durante o período noturno. As embarcações que transportavam os migrantes encontravam-se a cerca de duas milhas náuticas de distância do porto de Pythagorio.

Este ano, as unidades da GNR destacadas para o mar Egeu efetuaram um total de 721 patrulhas, que correspondem a mais de cinco mil horas, onde foram percorridos mais de 63 mil quilómetros, e que detetaram 207 embarcações que transportavam no total 1842 migrantes.

Esta operação da GNR ocorre no âmbito da missão da Angência Europeia de Fronteira e Guarda Costeira (FRONTEX) no mar Egeu, que segundo a mesma visa “prevenir, detetar e reprimir casos de imigração ilegal, tráfico de seres humanos e outros crimes fronteiriços, contribuindo fundamentalmente para a salvaguarda de vidas humanas no mar através de missões de busca e salvamento”.

Recomendadas

Marques Mendes diz que Luanda Papers é tsunami para Isabel dos Santos

O comentador da SIC diz que em Angola a solução é negociar, e que em Portugal existe uma questão sensível que é o Eurobic. Sobre a eleição de Rui Rio, Marques Mendes diz que teve uma “vitória clara”.

Leia aqui os documentos do Luanda Leaks

Os Luanda Leaks têm 715 mil documentos, entre e-mails, contratos, auditorias, e contas que foram obtidas por uma plataforma de denunciantes em África (PPLAAF), que depois foi partilhada com a ICIJ. Veja aqui os documentos que foram revelados este domingo.

Isabel dos Santos diz que Luanda Leaks é baseado em documentos falsos e coordenado por governo de Angola

O Luanda Leaks revelou 715 mil documentos, de um consórcio de jornalistas de investigação, que mostram como Isabel dos Santos construiu a sua fortuna à custa do Estado de Angola.
Comentários