Militares portugueses no Iraque regressam a casa mais cedo

Depois de as autoridades iraquianas terem suspendido “todas atividades de formação e treino das suas Forças Armadas e de Segurança até à segunda quinzena de maio” devido à pandemia de Covid-19, o Governo português decidiu que 33 militares portugueses deveriam regressar ao país.

Os miltares portugueses no Iraque vão regressar a casa mais cedo devido à pandemia da Covid-19, anunciou hoje o ministério da Defesa.

“Devido à pandemia da Covid-19, 33 militares portugueses que estão no Iraque e terminavam a sua missão em abril, vão regressar antecipadamente a Portugal, com chegada prevista para o final deste mês”, segundo o comunicado da tutela.

O ministério de João Gomes Cravinho diz que não existem “condições para assegurar integralmente a saúde das forças no terreno, as autoridades iraquianas decidiram suspender todas atividades de formação e treino das suas Forças Armadas e de Segurança até à segunda quinzena de maio”.

Por esta razão, foi “decidido fazer regressar os 31 militares estacionados no Besmayah Range Complex, a 50 quilómetros de Bagdade e os 2 militares colocados no corpo diplomático da missão”.

Do total de 35 militares que estão naquela região do mundo, apenas vão permanecer neste teatro de operações dois militares portugueses que se encontram a desempenhar funções no Kuwait.

Recomendadas

Empresa portuguesa desenvolve equipamento para criar quartos de pressão negativa

Tecnologia permite transformar quartos convencionais em quartos de pressão negativa para tratar doentes infectocontagiosos, bem como fazer a purificação do ar eliminando assim os vírus e bactérias e prevenindo a contaminação.

Santander Totta vai passar a pagar aos fornecedores a pronto pagamento

“Esta medida reforça o conjunto de outras que o Santander tem vindo a implementar para apoiar a economia e minimizar os impactos negativos provocados pela Covid-19, com especial foco na tesouraria e liquidez dos seus clientes”, referiu o Santander Totta.

Itália regista 760 óbitos nas últimas 24 horas e um aumento ligeiro no número de casos confirmados

As autoridades de saúde italianas reportaram no relatório desta quinta-feira mais 760 mortes nas últimas 24 horas, mais 33 vítimas mortais do que ontem.
Comentários