Modelo de subscrição tipo Netflix pode chegar às companhias aéreas

Com o avançar da pandemia da Covid-19 e a queda a pique das reservas, fruto das limitações de viagens no espaço europeu, foi acelerado este processo por parte desta tecnológica europeia, que deverá ser a primeira a lançar este modelo de negócio na Europa.

A tecnológica Caravelo está a negociar há meses a possibilidade de implementar um modelo de subscrição tipo Netflix no setor aéreo europeu com algumas companhias aéreas de Espanha, Reino Unido e Europa de Leste, avança esta segunda-feira o jornal espanhol “El Economista”.

Com o avançar da pandemia da Covid-19 e a queda a pique das reservas, fruto das limitações de viagens no espaço europeu, foi acelerado este processo por parte desta tecnológica europeia, que deverá ser a primeira a lançar este modelo de negócio na Europa.

Fontes da Caravelo explicaram a este jornal que esta semana foi iniciado o processo de ajustamento da plataforma ao modelo de subscrição a oferecer às companhias aéreas e que está previsto ser lançado a curto prazo de forma a animar a procura e gerar uma linha de receitas estável num momento de incerteza que fez cair a procura por viagens (as aeronaves têm voado com 60% de ocupação em julho e agosto).

Esta plataforma, explica o “El Economista”, baseia-se num modelo já adotado no continente asiático: “na Air Asia foi lançado um programa para voar de forma ilimitada por 180 euros por ano. Este modelo de negócio tem o objetivo de gerar uma base de clientes a quem se pode vender outro tipo de produtos. No México, a Caravelo trabalha com a Volaris, que já garantiu 30 mil subscrições durante a pandemia e que já aumentou a base de clientes após a reativação dos voos, explica a plataforma.

Recomendadas

Famílias mais carenciadas vão receber 1.300 euros para aquecer as suas casas

O Governo vai distribuir este ano 56 milhões de euros às famílias portuguesas para tornarem as suas habitações mais eficientes, revela hoje o “Jornal de Notícias”.

Média não perderam importância e procura de notícias é alta, aponta estudo

De acordo com o estudo, os meios de comunicação lidaram “razoavelmente” com o digital e encontraram forma de manter um “bom nível” de desempenho, apesar dos desafios económicos, políticos e tecnológicos.

“Liga Portugal rompeu, unilateralmente, o acordo que tinha com a Betano”, acusa casa de apostas sobre naming da Liga

Em declarações remetidas ao JE a propósito da escolha da Bwin para o naming da Liga, a Betano diz não conseguir compreender “como é que a Liga Portugal rompe, unilateralmente, o acordo que tinha com a Betano e aceita uma proposta de outro investidor para o mesmo ativo sem nos ter informado”.
Comentários