Moneris está a criar emprego e reforça laços com ensino superior

“Integrar pessoas, muitas vezes identificadas através de instituições de ensino superior, que estão a iniciar o seu percurso profissional” é uma prática, explica Sara Nunes, Diretora de Pessoas e Cultura, ao JE. Este ano, a consultora recrutou já 35 pessoas e mantém as portas abertas.

A Moneris fornece serviços de contabilidade, consultoria e apoio à gestão, estando presente de norte a sul de Portugal, com 20 escritórios e mais de 300 consultores. Fundada em 2007, por Rui Pedro Almeida, a consultora conta também com um ‘desk’ alemão, espanhol e francês. Já este ano recrutou 35 pessoas e as portas mantêm-se abertas. Além da criação de emprego, o ano fica também marcado pela aproximação à academia, traduzido no estabelecimento de parcerias com várias instituições de ensino superior, conforme nos explica Sara Nunes, Diretora de Pessoas e Cultura.

Como é que os objetivos estratégicos da Moneris se cruzam com o ensino superior?

A Moneris tem um grande foco na valorização e desenvolvimento das suas pessoas. Somos uma empresa de contabilidade e apoio à gestão, com cerca de 330 colaboradores com uma abordagem focada no cliente e nas suas necessidades. Face aos desafios atuais que todas as empresas de serviços profissionais do setor enfrentam, a Moneris faz uma aposta clara na tecnologia, inovação e desenvolvimento do talento interno. Isto significa que estamos comprometidos no processo de upskilling das nossas pessoas para que as mesmas continuem a ser um fator fundamental no sucesso e crescimento da Moneris. Parte desse processo é incentivar e oferecer as melhores condições para que as pessoas possam incluir no seu plano de desenvolvimento oportunidades de formação alinhadas com o seu percurso de carreira e com as tendências do nosso setor.

Outro objetivo estratégico importante é a captação de talento. Na atual guerra de talento, é importante não só reter como ser capaz de atrair as pessoas certas para a Moneris. Hoje temos, mais do que nunca, ser proativos na procura de pessoas que sejam um fit com a nossa cultura e forma de trabalhar. Temos vindo a apostar em integrar pessoas, muitas vezes identificada através de instituições de ensino superior, que estão a iniciar o seu percurso profissional e complementar a sua formação académica com a nossa formação on-job e o acompanhamento de profissionais mais experientes dos nossos quadros frequentemente alumni das mesmas instituições, o que permite um relacionamento mais pessoal com os novos elementos da equipa e uma maior compreensão das suas necessidades de formação.

 

Que parcerias estabeleceu já a Moneris e quais são as instituições?

A Moneris tem vindo a estabelecer parcerias com várias instituições que potenciam a aproximação com a academia. Recentemente celebramos protocolos com o ISEG – Executive Education, Grupo Lusófona e ISCTE – Executive Education, com o objetivo de poder proporcionar acesso ao melhor da formação nas melhores condições.

Procuramos também estabelecer parcerias com vários institutos politécnicos e institutos superiores no país uma vez que a Moneris tem uma dispersão geográfica relevante, com presença em 10 distritos do país, através de 18 escritórios em outras tantas cidades. Em cada localização onde a Moneris está presente, procuramos identificar as instituições de ensino e formação profissional mais relevantes e estabelecer uma relação com as mesmas. Desta forma, podemos não só identificar ofertas formativas de valor para as nossas pessoas, como também dar a conhecer a Moneris aos estudantes que estão prestes a ingressar no mercado de trabalho e procuram projetos desafiantes e recompensadores na área da contabilidade e consultoria.

 

Que oportunidades representam essas parcerias para os colaboradores da Moneris? E que oportunidades abrem aos estudantes dessas instituições?

Através destas parcerias os nossos colaboradores, e muitas vezes até os seus familiares diretos, podem aceder a ofertas formativas de qualidade com melhores condições. É importante referir, que no decorrer destas parcerias a Moneris teve já a oportunidade de contribuir financeiramente na formação de alguns dos nossos colaboradores. É um investimento que pretendemos fazer de forma consistente e que enriquece não só os colaboradores participantes como toda a equipa, uma vez que os conhecimentos adquiridos são depois disseminados internamente através da Moneris Academy, dos nossos Centros de Conhecimento e dos nossos Centros de Competência.

Os estudantes destas instituições com as quais temos um relacionamento mais estreito, têm a oportunidade de conhecer melhor a Moneris através da nossa participação em atividades e iniciativas do seu percurso académico. Podem conhecer alguns dos nossos profissionais que muitas vezes participam em seminários e case studies e que dão uma visão mais abrangente e significativa do que significa fazer parte de uma empresa de serviços de gestão como a Moneris.

No seu entender, que papel desempenha a relação Universidade-Empresa no desenvolvimento futuro de Portugal?

As instituições de ensino superior têm vindo cada vez mais a aproximar-se das organizações empresariais; estão atentas às necessidades das empresas no contexto da formação e procuram apresentar cursos que vão de encontro ao que as empresas procuram não só em termos de conteúdos, como também formato, duração e metodologia de ensino.

O estreitar desta relação, o conhecimento intrínseco da realidade do tecido empresarial e da evolução do contexto laboral vai ser essencial num momento chave em que cada vez mais surgem novas funções e cargos para os quais não existe ainda um percurso formativo estabelecido.

Paralelamente, nos próximos anos vai surgir uma forte necessidade de reskilling de vários profissionais, uma vez que vamos assistir ao desaparecimento de várias profissões devido aos desenvolvimentos tecnológicos e à robotização. Um trabalho conjunto entre a academia e as empresas vai permitir criar percursos formativos adaptados a estes executivos que irão evoluir e transformar as suas profissões, acompanhando as tendências do mercado. É importante garantir um diálogo aberto entre a academia e as empresas para ambas possam dar resposta aos desafios futuros de forma diferenciadora para não só evitar uma fuga de talento para o estrangeiro, como, mais relevante ainda no panorama atual, conseguir atrair estudantes e profissionais estrangeiros e aumentar assim a ‘pool’ de candidatos para o ensino superior e empresas.

A Moneris tem adereçado estes temas com o objetivo de continuar a ser uma empresa inovadora e diferenciadora no mercado e poder proporcionar aos seus colaboradores a oportunidade de se desenvolverem, respeitando os seus objetivos pessoais e profissionais.

Recomendadas

Regulador aprova venda do controle dos ativos de fibra ótica da Oi no Brasil

A operadora de telecomunicações brasileira Oi já tinha anunciado o acordo de venda de parte dos ativos de fibra ótica da InfraCo à Globenet e BTG.

Pfizer e Moderna vão continuar a dominar mercado das vacinas anti-Covid em 2022

Segundo os cálculos da Airfinity, as duas fabricantes de vacinas mRNA irão dominar três quartos do mercado vacinal em 2022, alargando a margem entre as rivais AstraZeneca, Johnson & Johnson, a vacina russa Sputnik V.

Exportação de vinhos portugueses sobe 13% até agosto para 581 milhões de euros

“As exportações totais foram de 581 milhões de euros [até agosto], mais 13% do que no ano passado”, adiantou o presidente da ViniPortugal, Frederico Falcão, em declarações à Lusa, a propósito dos 25 anos da associação.
Comentários