Moody’s retira os ratings de longo prazo da Navigator por razões comerciais

No momento em que tomou esta decisão, os ratings eram: classificação corporativa corporativa de Ba2 e probabilidade de classificação padrão de Ba2-PD.

A agência de serviços financeiros Moodys decidiu retirar os ratings de longo prazo da papeleira portuguesa Navigator por razões comerciais, informou a empresa norte-americana em comunicado esta quarta-feira.

No momento em que tomou esta decisão, os ratings eram: classificação corporativa corporativa de Ba2 e probabilidade de classificação padrão de Ba2-PD. Ao mesmo tempo, a Moody’s retirou também a perspetiva estável.

A Navigator é a principal produtora de papel UWF na Europa e também atua no produção de celulose, energia e tecido de madeira de eucalipto. Com cerca de 3.300 funcionários, a empresa gerou receitas de
1,7 mil milhões de euros em 2018.

Recomendadas

Parlamento ouve hoje presidente do Fundo de Resolução sobre nova injecção no Novo Banco

Luís Máximo dos Santos vai nesta quarta-feira, 26 de fevereiro, à Assembleia da República esclarecer as questões levantadas pelo Bloco de Esquerda relativas a uma “perspetiva de nova e relevante injeção de dinheiro do Estado”. Bloquistas querem ainda saber o acompanhamento que tem sido feito de todos os processos de venda de crédito malparado.

Acusação a Ricardo Salgado está parada devido a questões processuais

O processo em que o Banco de Portugal investiga o papel de Ricardo Salgado na sociedade criada para financiar o “buraco” no Grupo Espírito Santo está “preso” porque ainda não levantado o sigilo profissional de um advogado. Ordem dos Advogados tem palavra decisiva.

Santa Casa assina contrato de 3,7 milhões com fornecedor norte-americano de “raspadinhas”

A IGT Global Solutions já tinha sido escolhida em 2016 para o fornecimento de bilhetes de lotaria instantânea durante três anos, num concurso público no valor de 28,5 milhões de euros.
Comentários