Moody’s retira os ratings de longo prazo da Navigator por razões comerciais

No momento em que tomou esta decisão, os ratings eram: classificação corporativa corporativa de Ba2 e probabilidade de classificação padrão de Ba2-PD.

A agência de serviços financeiros Moodys decidiu retirar os ratings de longo prazo da papeleira portuguesa Navigator por razões comerciais, informou a empresa norte-americana em comunicado esta quarta-feira.

No momento em que tomou esta decisão, os ratings eram: classificação corporativa corporativa de Ba2 e probabilidade de classificação padrão de Ba2-PD. Ao mesmo tempo, a Moody’s retirou também a perspetiva estável.

A Navigator é a principal produtora de papel UWF na Europa e também atua no produção de celulose, energia e tecido de madeira de eucalipto. Com cerca de 3.300 funcionários, a empresa gerou receitas de
1,7 mil milhões de euros em 2018.

Recomendadas

Falhas na rede móvel da NOS solucionadas. Operador vai averiguar “grave incidente”

A operadora admitiu que falha na rede “provocou interrupção do serviço de voz e dados”, “com impacto em clientes em algumas zonas do país”. Fonte oficial da NOS explicou ao JE que entre o reporte das falhas e a sua resolução passaram “apenas” duas horas e que os planos de contingência foram prontamente ativados e bem sucedidos.

Miguel Maya: “BCP já tem cinco mil operações por dia feitas por robôs”

“O BCP aprendeu com os erros do passado”, reconheceu o banqueiro. Miguel Maya disse que era preciso a tecnologia com a relação humana já que “a tecnologia é para servir a relação”, referiu.

Quatro azeites portugueses entre os 100 melhores do mundo

Três dos azeites portugueses premiados têm preços abaixos dos seis euros, com o quarto a custar dez euros.
Comentários