Morreu Mário Wilson, o primeiro técnico português campeão pelo Benfica

Com 86 anos, morreu a velha glória do futebol português, Mário Wilson, que proferiu a célebre frase: “Qualquer treinador que vá para o Benfica arrisca-se sempre a ser campeão”.

Natural de Lourenço Marques, hoje cidade de Maputo, Mário Wilson, conhecido como “Velho Capitão”, começou ainda em Moçambique a jogar futebol no Desportivo de Lourenço Marques, atual Desportivo de Maputo.

Chegou com 19 anos a Portugal para jogar no Sporting Clube de Portugal e substituir o goleador Fernando Peyroteo, conquistando o campeonato nacional em 1951.

Depois seria defesa e, entre 1951/52 e 1963, representou a Académica de Coimbra, iniciando aqui a sua carreira de técnico, cuja marca principal surgiu como vice-campeão na época de 1966/67.

Primeiro técnico português a ser campeão pelo Benfica na época de 1975/76, numa equipa onde se evidenciaram os dianteiros Jordão e Nené, entre 1978 e 1980 comandou os destinos da Seleção Nacional, sendo célebres as controvérsias com outro grande nome do futebol e dos técnicos nacionais – José Maria Pedroto.

Orientou outros clubes, como Belenenses, Tirsense, V. Guimarães, Boavista, Estoril, Cova da Piedade, Louletano, Torreense, Olhanense, Águeda, FAR Rabat de Marrocos e Alverca, mas também voltou ao Benfica por diversas vezes, conquistando a taça nas épocas de 1979/80 e 1995/96, neste último caso na ressaca da passagem de Artur Jorge como treinador dos benfiquistas – o antigo goleador da Académica, do Benfica e do Belenenses fora, aliás, escolha sua para entrar na Luz como jogador.

A 13 de Julho de 1990 foi feito Comendador da ordem de Mérito.

Ler mais
Recomendadas

Emissão de dívida do Sporting arranca ensombrada pela detenção de Bruno de Carvalho

As rescisões unilaterais dos jogadores Podence, Gelson Martins, Rafael Leão e Ruben Ribeiro, na sequência das agressões que sofreram no dia 15 de maio na Academia de Alcochete, poderão acarretar um custo de 6,8 milhões de euros para a Sporting SAD, de acordo com o prospecto da emissão de dívida. A detenção de Bruno de Carvalho ontem agrava este risco. O risco de não receber nada pelos jogadores e ainda pagar uma indemnização.

“Apertão? Não, Não. Temos de lá ir falar todos”. A reunião onde tudo começou

Episódio foi relatado ao “Jornal Económico” por fonte oficial do Sporting a 18 de maio, três dias após os ataques na Academia do SCP em Alcochete. Desejo da Juve Leo em dar um “apertão” aos jogadores foi manifestado num encontro com Bruno de Carvalho, a 7 de abril, depois da derrota da equipa em Madrid.

Bruno de Carvalho e Mustafá deverão ser ouvidos amanhã em tribunal, diz MP

Ex-presidente do Sporting e líder da Juve Leo deverão ser presentes amanhã ao Juiz de Instrução Criminal para aplicação das medidas de coação. Arriscam prisão preventiva por crimes de terrorismo, sequestro e ofensas à integridade física qualificadas, bem como de autoria moral do ataque na Academia do SCP em Alcochete.
Comentários