Mota-Engil ganha contratos de 450 milhões de euros em Angola, Honduras e México

O contrato nas Honduras totaliza cerca de 95 milhões de euros, para a construção de uma instalação hidroelétrica. Em Angola, a empreitada, no valor de 115 milhões de euros, é para construir uma estação híbrida. No México, a empresa adquiriu uma concessão rodoviária em conjunto com um fundo de investimento e irá faturar 140 milhões na construção de novas vias.

A Mota-Engil anunciou esta terça-feira, após o fecho do mercado, que garantiu a assinatura de dois novos contratos por uma empresa subsidiária da Mota-Engil Latin America, BV, e pela Mota-Engil Engenharia e Construção África, SA, respetivamente, nas Honduras e em Angola. Estes dois contratos perfazem um total de 310 milhões de euros.

“O contrato nas Honduras totaliza cerca de 195 milhões de euros, terá uma duração estimada de 36 meses e contempla a construção de uma nova instalação hidroelétrica denominada de El Tornillito com uma potência instalada de 194 MW”, esclarece o comunicado enviado pela Mota-Engil à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com este documento, “por outro lado, o contrato em Angola totaliza cerca de 115 milhões de euros, terá uma duração estimada de 30 meses e contempla a execução de três atividades principais: a conclusão do sistema elevatório norte, a construção do perímetro irrigado do Calueque e a construção de uma central de geração híbrida”.

“Prevê-se que o financiamento integral deste projeto seja assegurado por uma instituição de crédito à exportação”, adianta a referida nota.

Adicionalmente, a Mota-Engil informou que uma das suas subsidiárias no México (a Mota-Engil México) obteve autorização para a aquisição da concessionária da Autopista Cuapiaxtla-Cuacnopalan, com uma extensão total de 63 quilómetros, dos quais os 26 quilómetros existentes apenas serão reabilitados.

“Esta concessão implica um investimento total superior a 200 milhões de euros, um prazo de 30 anos após o fecho financeiro, incluindo 24 meses de período de construção para executar cerca de 140 milhões de euros, e uma taxa interna de rentabilidade garantida de 13,5% em termos reais”, esclarece o comunicado em questão, acrescentando que “a Mota-Engil México, associada a um fundo de investimento (50/50), deterá 100% da concessão”.

“Esta concessão é o primeiro projeto de infraestruturas do Estado de Puebla e um dos primeiros do país nos últimos 12 meses. Este novo investimento consolida a posição da Mota-Engil no setor das infraestruturas e comprova a confiança do Estado de Puebla e do México nas capacidades da empresa”, destacam a administração da empresa liderada por António e Gonçalo Moura Martins.

Segundo estes responsáveis, “deste modo, a adjudicação dos acima referidos contratos é mais um exemplo relevante da dinâmica comercial da Mota-Engil, quer na América Latina, quer em África, confirmando a concretização de um ‘pipeline’ de projetos de dimensão assinalável”.

Ler mais
Recomendadas

Proveitos da Teixeira Duarte cresceram 3% em 2019, para 1.050 milhões de euros

Em 2019, o volume de negócios do grupo atingiu 877 milhões de euros, um ligeiro incremento de 0,4% face a 2018. Neste indicador, “o bom desempenho na construção e nas concessões e serviços permitiram uma ligeira subida do valor global apurado”.

Construtora portuguesa distinguida com obra no hipódromo de Paris

O hipódromo de Paris Longchamp é reconhecido internacionalmente como um dos mais exigentes circuitos de corridas de cavalos a nível mundial.

Ordem dos Engenheiros avança com recomendações para prevenção nos estaleiros de construção

A instituição liderada por Mineiro Aires considera que, “para que o setor mantenha a sua atividade, torna-se imprescindível que os donos de obra e as empresas estejam conscientes e informadas das medidas necessárias à prevenção do contágio, estendidas a toda a cadeia de subcontratação e por todos aqueles que diariamente desenvolvem atividade nos estaleiros”.
Comentários