Mota-Engil prevê subida na faturação de 7,5% no primeiro semestre

A construtora encerrou o primeiro semestre deste ano com uma carteira de encomendas acima dos 5,2 mil milhões de euros, dos quais 75% fora da Europa.

Mota-Engil

A Mota-Engil prevê ter registado um crescimento de 7,5% do volume de negócios no primeiro semestre deste ano face ao período homólogo de 2018, para um montante de 1,34 mil milhões de euros.

De acordo com um comunicado enviado pela construtora há minutos para a CMVM – Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, o EBITDA da empresa no período em análise deverá ter aumentado cerca de 10%, face ao período homólogo.

Desta forma, o EBITDA da Mota-Engil no primeiro semestre de 2019 deverá ter-se fixado em 194 milhões de euros, “com uma sólida e crescente margem de 14,4%”, de acordo com o referido comunicado

O mesmo documento sublinha que a Mota-Engil encerrou o primeiro semestre deste ano com uma carteira de encomendas acima dos 5,2 mil milhões de euros, dos quais 75% fora da Europa.

Por seu turno, a dívida líquida da Mota-Engil no final da primeira metade deste ano deverá ter-se situado nos 1,07 mil milhões de euros, “apesar do elevado investimento e do fundo de maneio tradicionalmente desfavorável no primeiro semestre”

No período em análise, o investimento líquido da Mota-Engil ascendeu a cerca de 105 milhões de euros.

A empresa liderada por António Mota e Gonçalo Moura Martins avisa que, “tal como previsto no calendário do investidor, o relatório intercalar completo será publicado no próximo dia 29 de agosto de 2019”.

Ler mais
Recomendadas

PremiumMercado moçambicano em alta no grupo Mota-Engil

Moçambique já é o segundo maior mercado da Mota-Engil em África, depois de Angola. No primeiro semestre de 2019, a faturação mais que duplicou.

PremiumMota-Engil deverá ganhar mil milhões com projetos de gás natural em Moçambique

Um estudo reservado da consultora Nau Securities prevê que o EBITDA da construtora nacional neste país possa ser crescer em 30% nos próximos cinco anos devido aos contratos estimados nesta área.

Caixa BI escolhe Mota, REN, Sonae e Sonae Capital como ‘top picks’ para 2020

O banco de investimento da CGD antevê um 2020 positivo para o PSI 20, com uma subida potencial de 13% alimentada pelas pares na Europa e nos EUA e o menor risco-país de Portugal. Sobre as favoritas: a Mota-Engil vai ganhar com expansão internacional, a REN é um porto seguro, a Sonae tem vários pontos de ganhos e a Sonae Capital está exposta a muitas oportunidades.
Comentários