Mulher de 80 anos processa Santander por enriquecimento ilícito na compra do Popular

Trata-se do primeiro processo judicial ao banco espanhol em relação à compra do Popular.

A sociedade de advogados espanhola Jausas apresentou perante os tribunais de primeira instância de Madrid o primeiro processo contra o Santander por enriquecimento ilícito na compra do Banco Popular por um euro.

O escritório representou uma viúva de 80 anos que investiu 50 mil euros em títulos no banco Popular e que, depois da venda acordada pelo Conselho Único de Resolução, foram convertidos em ações e amortizados a valor zero, de acordo com a notícia avançada pela agência espanhola EFE esta terça-feira.

O processo, ao qual a EFE teve acesso, salienta o “enorme enriquecimento injusto” pelo Banco Santander, traduzindo-se no empobrecimento dos detentores de ações, participações referentes e títulos.

Para a cliente, o Banco Popular sempre foi e continua a ser “um banco solvente” e foi afetado pelo processo de resolução e pelo “preço ridículo” da compra. A seu ver, o Santander comprou uma instituição bancária “com um valor próximo de 4.500 milhões de euros, não por um euro, como geralmente é referido, mas por um preço de menos 2.030 milhões de euros”.

Santander compra Banco Popular por um euro

Ler mais
Relacionadas

Respostas Rápidas. O que precisa saber sobre a compra e fusão do Popular com o Santander Totta

A marca Popular Portugal será descontinuada e todos os balcões passarão a ter a imagem Santander Totta, que se torna no maior banco privado português em termos de ativos e crédito.
Recomendadas

PremiumAntónio Andrade: “O Tribunal Unificado de Patentes pode ser muito negativo para as PME”

António Andrade, sócio da Abreu, explica a importância da proteção de patentes na indústria farmacêutica.

PremiumComo a transformação digital está a mudar os negócios

Para Sam Balaji, líder global de consultoria da Deloitte, há “grandes oportunidades” para Portugal no setor da transformação digital. Finanças, Energia, Retalho e Distribuição são os setores que mais investem.

PremiumPME terão mais uma forma de financiamento

Advogado Gustavo Ordonhas Oliveira diz que já há interessados em criar fundos de crédito, inclusive gestoras de fundos de capital de risco.
Comentários