Nancy Pelosi confia em acordo com a Casa Branca para novo pacote de ajuda contra Covid-19

As negociações formais entre a presidente da Câmara dos Representantes, o líder democrata no Senado Chuck Schumer, o secretário do Tesouro Steven Mnuchin e o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, foram interrompidas sem acordo a 7 de agosto.

Brendan Smialowski/AFP/Getty

A presidente da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, está confiante num acordo com a Casa Branca para um novo pacote de ajuda contra o coronavírus e que as negociações continuam, conta a agência “Reuters” este domingo, 27 de setembro.

“Estamos a ter as nossas conversas. E quando tenho uma conversa com a administração, é de boa fé. Confio no secretário (do Tesouro) (Steve) Mnuchin para representar algo que pode chegar a uma solução. E acredito que podemos chegar a um acordo”, afirmou Nancy Pelosi à “CNN”.

As negociações formais entre Nancy Pelosi, o líder democrata no Senado Chuck Schumer, o secretário do Tesouro Steven Mnuchin e o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, foram interrompidas sem acordo a 7 de agosto.

Nancy Pelosi tem pela frente a pressão dos democratas que pretendem ver propostas de ajuda também do lado republicano, para que exista a possibilidade de se tornarem leis nacionais.

Pelosi e Schumer, que inicialmente procuravam um pacote de ajuda de 2,9 biliões de euros, mas reduziram para os 1,8 biliões. Contudo, a imprensa norte-americana indica que o pacote poderá chegar aos 2 biliões de euros.

Qualquer legislação que a Câmara dos Representantes liderada pelos democratas possa aprovar dificilmente será aprovada no Senado, dado que é controlado pelos republicanos.

Ler mais

Relacionadas

EUA: Câmara dos Representantes prepara novo pacote de 1,8 biliões no combate à Covid-19

O novo pacote de estímulo para combater o coronavírus está a ser preparado pelo democratas de forma a que possa ser votado na próxima semana. Nancy Pelosi, líder da Câmara dos Representantes, diz-se pronta para negociar com a Casa Branca.
Recomendadas

‘Falcões’ vs ‘pombas’ no BCE. Lagarde vai dar sinal forte, mas tensões devem adiar estímulos

O banco central da zona euro está novamente dividido entre os que querem mais estimulos já e os que preferem aguardar. Christine Lagarde tem espaço de manobra e deverá aguardar até dezembro, quando tiver novas projeções e melhor visão sobre riscos politicos. A mensagem de hoje deverá ser, portanto, de promessa de agir face ao aumento de riscos.

Topo da agenda: o que vai marcar a atualidade esta quinta-feira

O tema em destaque nesta quinta-feira é a reunião com os governadores do Banco Central Europeu. Na Assembleia da República o dia ficará marcado pelas audições ao Tribunal de Contas e ao ministro da Ciência sobre o Orçamento do Estado para 2021. O INE vai publicar estatísticas relativamente às empresas, ao turismo e desemprego.

Corrida à liderança da OCDE gera tensões entre EUA e Europa

A nomeação para o cargo poderá, segundo alguns analistas e políticos próximos da organização, definir o futuro da globalização. As diferentes preferências europeias e americanas podem levar a mais um foco de tensão entre os dois blocos, sendo que, caso Joe Biden vença, levanta-se a questão sobre a sua escolha para o cargo, que deverá diferir da expressa pelo presidente Trump.
Comentários