“Não tenho problemas com privados a gerir hospitais públicos”

Álvaro Beleza, candidato a bastonário da Ordem dos Médicos, defende que o Estado deve especializar-se na regulação das atividades. “Em Portugal, temos demasiado Governo”, disse.

Cristina Bernardo

O diretor do Serviço de Sangue do Hospital de Santa Maria e candidato a bastonário da Ordem dos Médicos, Álvaro Beleza, não vê impedimentos numa gestão privada das unidades de saúde públicas. No encontro ontem promovido pelo International Club of Portugal (ICPT), o médico disse não ter “problemas com privados gerirem hospitais públicos”.

As eleições na Ordem dos Médicos terão lugar em janeiro e Álvaro Beleza anunciou a sua candidatura após o atual bastonário, José Manuel Silva, ter decidido não se recandidatar.

No almoço promovido pelo ICPT, o candidato defendeu que o Estado deve reduzir a sua presença na sociedade portuguesa e deu os exemplos do Metro de Lisboa e da Carris como empresas que prestam serviços de transportes públicos e que poderiam ser dirigidas por empresas privadas.

“O Estado deve especializar-se na regulação das atividades (…). Em Portugal, temos demasiado Governo no quotidiano e nas notícias”, disse o antigo membro da direção do Partido Socialista, no evento que ontem teve lugar no Hotel Double Tree by Hilton, em Lisboa, com o apoio do Jornal Económico. Álvaro Beleza defendeu a importância da sociedade civil na evolução da democracia, apelando a que se “torne progressivamente mais forte” e que o peso do Estado neste ramo diminua.

Em relação à operação “O Negativo” e ao negócio ilícito de plasma, Beleza defendeu que o “país pode estar tranquilo, porque o Instituto Português do Sangue tem excelentes referências”. O médico confia no sistema de Justiça e considera a corrupção “um problema endémico em Portugal, um dos cancros da democracia”.

Com o slogan de campanha «A Ordem forte», Álvaro candidata-se a bastonário com um plano do qual faz parte a recriação de várias organizações de saúde. “Como bastonário que espero vir a ser, prometo uma liderança focada”, assegurou o candidato, defendendo que “a Ordem tem de entrar definitivamente no século XXI”.

À margem dos estatutos, Álvaro Beleza quer transformar a Ordem na “principal entidade certificadora de saúde” e que “não viva das quotas dos médicos”. A Ordem não pode subsistir dessa forma, acrescentou.

Guterres será convidado do ICPT em 2017

A abertura do encontro esteve a cargo do presidente do ICPT, Manuel Ramalho, que agradeceu a presença do especialista em Imuno-Hemoterapia e aproveitou a ocasião para anunciar que, no próximo ano, um dos almoços-debate contará com a presença de António Guterres. Manuel Ramalho referiu que o recém-empossado secretário-geral das Nações Unidas já aceitou o convite para participar nestes eventos que o International Club of Portugal realiza regularmente. n

Ler mais
Recomendadas

Acionistas da Cofina aprovam compra da dona da TVI à Prisa

Depois do ‘ok’ dos acionistas da Prisa, eis que os acionistas da Cofina confirmam a compra da Media Capital, votando favoravelmente o aumento de capital necessário para concretizar a compra da dona da TVI. Cofina e Prisa estimam que toda a operação de compra e venda esteja concluída até ao fim do primeiro trimestre do ano, sendo que para a dona do Correio da Manhã a aquisição da Media Capital pode representar sinergias de 46 milhões de euros.

Tráfego de carros na rede da Brisa cresceu 3,7% em 2019

O tráfego foi negativamente influenciado pelo efeito de calendário, pela greve dos motoristas de veículos pesados em agosto, e pelas condições meteorológicas desfavoráveis no quarto trimestre de 2019.

Apple teme que coronavírus possa afetar produção de smartphones na China

Depois dos bons resultados, as ações da Apple aumentaram 1,29% ou quatro dólares nas negociações da bolsa foram do horário comercial. No entanto, a apresentação de resultados foi ensombrada pelas prováveis dificuldades na produção de smartphones na China devido ao coronavírus.
Comentários