Natixis quer transferir mais de 200 postos de trabalho para o Porto

O banco com sede em Paris apresentou o plano aos sindicatos no início desta semana e que ao pessoal afetado serão oferecidos pacotes para sair voluntariamente ou novas funções.

O banco francês Natixis pretende eliminar 245 empregos em França e transferir a maioria daquelas funções para o Porto no âmbito de um plano de corte de custos, avança esta sexta-feira a agência de notícias Bloomberg.

A Bloomberg, que cita uma fonte próxima do processo, mas que pediu para não ser identificada, adianta que destes 245 empregos, 209 serão em funções de apoio na sede em Paris, que serão transferidas para a cidade do Porto.

Os outros 36 postos de trabalho que serão extintos são da divisão de derivados do banco em Paris, adiantou a fonte.

O banco com sede em Paris apresentou o plano aos sindicatos no início desta semana e que ao pessoal afetado serão oferecidos pacotes para sair voluntariamente ou novas funções no Natixis, adianta a Bloomberg.

A Bloomberg refere também que, em novembro, o banco decidiu abandonar a comercialização de produtos derivados de ações devido a perdas acentuadas, reduziu a lista de clientes de mais de 400 para 50, depois de em agosto ter mesmo substituído o presidente executivo.

O plano mais amplo de redução de custos da Natixis visa poupar um total de 350 milhões de euros (426 milhões de dólares) até 2023. Em novembro, o banco informou ao pessoal em Londres que iria cortar 50 dos 350 postos de trabalho, dos quais 30 seriam transferidos para Paris.

Ler mais
Relacionadas

Banco francês Natixis tem um novo CEO

Nicolas Namias é o novo CEO da Natixis a nível global e sucede no cargo a François Riahi, que foi repentinamente substituído depois do banco ter apresentado prejuízos no segundo trimestre.

Natixis procura 80 recém-licenciados, fluentes em inglês, para setembro

As candidaturas decorrem até 17 de agosto no site da empresa. Todo o processo de recrutamento será realizado virtualmente.
Recomendadas

Commerzbank encerra filial de Barcelona e quer vender a do Brasil

Ao apresentar os resultados de 2020, o Commerzbank, que registou perdas de quase 2.900 milhões de euros, indicou que queria encerrar agências e representações fora da Alemanha, retirando-se de 15 pontos internacionais.

Dívida pública recuou em janeiro depois de ter atingido máximo histórico

A dívida recuou 600 milhões entre dezembro e janeiro refletindo “essencialmente amortizações de títulos de dívida, no valor de 0,3 mil milhões de euros, e a redução de responsabilidades em depósitos no valor de 0,2 mil milhões”, de acordo com o Banco de Portugal.

PremiumRestruturação da dívida da TAP não agrava malparado dos bancos

Bancos aceitaram adiar o pagamento da dívida da TAP em um ano e meio. Mas cartas-conforto do Estado evitam que classifiquem como malparado.
Comentários