“Negociar sem confrontação”. António Costa satisfeito com acordo entre Fectrans e Antram

O primeiro-ministro disse que “neste caso imperou o bom senso e o diálogo”, enaltecendo que foi conciliado “o respeito pelos direitos dos trabalhadores e os interesses das empresas, possibilitando negociar sem confrontação”.

Piroschka Van Der Wouw/Reuters

António Costa reagiu na noite desta quarta-feira, através do Twitter, ao acordo “histórico” alcançado entre a Fectrans e a Antram.

O primeiro-ministro disse que “neste caso imperou o bom senso e o diálogo”, enaltecendo que foi conciliado “o respeito pelos direitos dos trabalhadores e os interesses das empresas, possibilitando negociar sem confrontação”.

O líder do Executivo não deixou de lançar um desafio ao SIMM e ao SNMMP, esperando que este acordo “seja um exemplo seguido por outros”.

Após a prolongada reunião de hoje entre a ANTRAM – Associação dos Transportadores Rodoviários Públicos de Mercadorias e a Fectrans, federação sindical filiada na CGTP, deu mais um passo no sentido do acordo entre as duas partes.

Ao final da reunião que teve hoje lugar, como o Jornal Económico avançou em primeira mão, quer André Matias de Almeida, representante da ANTRAM, quer José Manuel Oliveira, coordenador da Fectrans, estiveram sintonizados.

“Chegámos a um documento histórico, que precisa agora de acompanhamento governamental”, referiu André Matias de Almeida.

O representante da ANTRAM adiantou que “conseguimos construir este entendimento após algumas pontes de entendimento”.

Por seu turno, José Manuel Oliveira que “evoluímos num conjunto de matérias”.

“Há coisas que só poderemos referir depois do documento trabalhado”, revelou o coordenador da Fectrans.

Ler mais
Relacionadas

Patrões e Fectrans chegaram a acordo “histórico”. Governo tem a última palavra

A ANTRAM e a Fectrans vão agora prosseguir as negociações com o Ministério das Infraestruturas.
Recomendadas

Estado de Contingência alargado até 14 de outubro

O Estado de Contingência atual terminaria no final de setembro, indo agora durar mais 15 dias.

CDS-PP quer lista de contratos ao abrigo de regimes excecionais Covid-19 enviados para a Assembleia da República

Requerimento apresentado pela deputada Cecília Meireles à Comissão Eventual para o Acompanhamento da Aplicação das Medidas de Resposta à Covid-19 e do Processo de Recuperação Económica e Social chama Marta Temido, Ana Mendes Godinho e Pedro Siza Vieira à Assembleia da República, tal como o consultor António Costa Silva e os presidentes executivos da ANA e da TAP.

Governo pondera usar semáforos para identificar zonas de maior risco de transmissão

O secretário de Estado da Saúde assume que a ideia passará por dividir Portugal por cores verde, amarelo e vermelho, consoante o risco de contágio for mais baixo ou mais alto. Sobre o uso de máscara na rua, Lacerda Sales admitiu que possa vir a ser obrigatório, se a epidemia piorar: “Tudo é uma possibilidade na indefinição de uma pandemia”, afirmou.
Comentários