Vodafone quer patrocinar o Estádio Olímpico de Londres

O estádio enfrenta grandes desafios desde a sua criação, em 2012, e a transição do “modo olímpico” para um estádio de futebol tem sido problemático para a London Legacy Development Corporation, a proprietária do estádio olímpico.

Ler mais

Vai ser uma espécie de “Meo Arena”. O Pavilhão Atlântico foi comprado pela operadora em 2013, que também assumiu os ‘naming rights’ (direitos sobre a propriedade de nome) do espaço multiusos.

Um pouco mais longe, em  Inglaterra, o mesmo vai acontecer com o Estádio Olímpico de Londres. A Vodafone afinal não vai desistir de patrocinar alguns dos desportos mais mediáticos, como tinha admitido, estando agora a negociar os valores para “entrar” no estádio.

A operadora patrocinou anteriormente equipas de futebol, como o Manchester United e também marcou presença na Fórmula 1, com a  Ferrari e McLaren, mas deixou essa atividade em 2013. No entanto, a Vodafone está no meio de um processo de conversações para patrocinar o estádio.

Atualmente, o estádio olímpico é usado pelo clube de futebol West Ham – desde agosto do ano passado – e é também palco para concertos, como aconteceu com os AC/DC, e é usado para jogos da Rugby League.

As negociações entre a gigante das telecomunicações e a proprietária do estádio, a London Legacy Development Corporation (LLDC), estão em curso há vários meses, segundo avança a Sky News. Mas fontes indicam que o acordo está prestes a fechar por 20 milhões de libras e seis anos de parceria.

O acordo deve começar este verão, mesmo a tempo de capitalizar a nova temporada de futebol. É um grande impulso para o estádio e para a LLDC, que tem procurado um parceiro de alto nível para a arena desde os Jogos Olímpicos de 2012.

É esperado que a Vodafone utilize esta parceria para mostrar a sua mais recente tecnologia, com conexões móveis de alta velocidade, uma das ofertas disponíveis para o espectadores do estádio.

Recomendadas

STCP vai fechar o ano com 50 autocarros novos

Estes autocarros fazem parte de um pacote de renovação da frota da empresa que passou pela aquisição, em curso, de um total de 188 autocarros, que irão entrar todos em funcionamento até meados de 2020, num investimento previsto de cerca de 92 milhões de euros.

Primark estende programa de algodão sustentável ao Paquistão

Segundo esta cadeia, 4,4 milhões de pijamas de algodão da Primark fabricados com algodão de origem sustentável foram vendidos no primeiro ano desta iniciativa.

“Crescimento da Mercadona virá de Portugal”, assume presidente do grupo

O líder da distribuição em Espanha está a atingir o limite máximo de lojas no país vizinho e optou por Portugal para ser a primeira experiência de internacionalização e para continuar a expandir-se.
Comentários