PremiumNFTs: os cromos desportivos que valem milhões

A área de ‘sports tech’ está a crescer e há startups portuguesas, como a RealFevr, que se estão a posicionar para liderar a nível mundial com apostas que juntam o talento de futebolistas e de profissionais de topo da área do digital.

“O primeiro nunca se esquece”. A 19 de agosto de 2017, o médio internacional português, Bruno Fernandes, agora ao serviço do Manchester United, marcou o primeiro golo ao serviço do Sporting CP, em Guimarães, frente ao Vitória SC. Um remate de longe que não deu hipótese ao guarda-redes adversário e que seria recordado três anos depois pelo médio numa publicação no Instagram como o primeiro dos 63 golos apontados pelo agora ‘red devil’ com a camisola dos ‘leões’.

Se na altura este golo valeu três pontos ao Sporting CP, em 2021, o NFT em que é possível ver este ‘unique’ (momento único) do médio da Seleção Nacional apresenta uma avaliação de 90 mil dólares, explica Fred Antunes, CEO da Real Fevr, empresa que se lançou recentemente no fervilhante mercado de NFT desportivos.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Advogado de Neymar ao JE: “Em vinte anos, contratos dos futebolistas passaram de três para 100 páginas”

Em entrevista exclusiva ao programa “Jogo Económico”, da plataforma multimédia JE TV, Marcos Motta fala sobre este conceito, da forma como a indústria do futebol tem evoluído nos últimos anos e como as transferências efetuadas na pandemia já mostram como poderá este negócio evoluir nos próximos tempos.

Futebol. Campeonato do mundo a cada dois anos preocupa Comité Olímpico Internacional

COI afirmou estar “muito preocupado” com o impacto que um Mundial a cada dois anos possa ter sobre outras modalidades desportivas, bem como no bem-estar dos jogadores e no aumento das modalidades masculinas, já que afetaria a “igualdade de género”.

CR7 junta-se a milionário de Singapura para lançar startup que pretende “revolucionar” o futebol

ZujuGP visa “impulsionar a comunicação e o comércio na comunidade mundial de quatro mil milhões de fãs”.
Comentários