Nobel da Medicina de 2019 vem a Portugal para participar numa conferência da Nova Medical School

Peter Ratcliffe é nefrologista e trabalha no Francis Crick Institute, no Reino Unido. A par dos norte-americanos William G. Kaelin Jr e Gregg L. Semenza, foi agraciado com um nobel pelo trabalho considerado fundamental “para novas estratégias no combate à anemia, ao cancro e muitas outras doenças”.

O laureado com o Nobel da Fisiologia ou Medicina de 2019 Peter J. Ratcliffe vai estar em Portugal entre os dias 16 e 20 de outubro para participar na 11.ª edição do iMed Conference, um evento de debate sobre a medicina organizado pela Associação de Estudantes da Nova Medical School, foi esta quarta-feira anunciado.

O britânico Peter J. Ratcliffe vai marcar presença no evento que decorre no Teatro Camões, a par da médica norte-americana Lisa Sanders, que protagoniza a recém-estreada série Diagnosis na Netflix, o pioneiro no transplante de útero nos EUA, o médico Giuliano Testa, e o professor emérito de Psiquiatria Social e investigador principal do projeto AVATAR para o tratamento de alucinações auditivas, Thomas Craig. O responsável pela investigação e desenvolvimento da vacina do vírus do papiloma humano (HPV),  John T. Schiller, também vai marcar presença.

A par dos norte-americanos William G. Kaelin Jr e Gregg L. Semenza, Ratcliffe foi agraciado com o Nobel da Medicina, em 7 de outubro deste ano, “pelas suas descobertas de como as células sentem e se adaptam à disponibilidade de oxigénio”. O trabalho dos três médicos foi considerado fundamental “para novas estratégias no combate à anemia, ao cancro e muitas outras doenças”.

Peter Ratcliffe é nefrologista e trabalha no Francis Crick Institute, no Reino Unido. William Kaelin é especialista em medicina interna e oncologia e está em Harvard, nos Estados Unidos. Gregg Semenza é pediatra e trabalha na Universidade John Hopkins, também nos EUA. De acordo com o “Washington Post”, foi Semenza quem iniciou o trabalho nos anos 1990, agora premiado pela Real Academia Sueca. O trio vai tripartir o prémio de nove milhões de coroas suecas (872 mil euros aproximadamente).

Ler mais
Recomendadas

Governo admite que professores com mais de 60 anos possam deixar de dar aulas

O rejuvenescimento da carreira docente e a possibilidade de os professores com mais de 60 anos deixarem de dar aulas para “desempenhar outras atividades” são objetivos enunciados pelo Governo para o Orçamento do Estado de 2020 (OE2020) na educação.

Como se diz “olá” em coreano?

UMinho vai lançar este semestre cursos livres de línguas em 12 idiomas. Dos mais previsíveis aos mais exóticos.

Portugal, Cabo Verde e Angola recebem financiamento para ensino e formação profissional

A Comissão Europeia atribuiu 8,5 milhões de euros para projetos-piloto, com África e com os Balcãs, nos quais Portugal está incluído.
Comentários