NOS dá apoio a startup portuguesa Modatta em programa de Bruxelas

A operadora de telecomunicações foi convidada pela Comissão Europeia para fazer parte do Digital Volunteers – Mentors Program e decidiu que os empreendedores da Modatta seriam o melhor alvo de aprendizagem.

A startup portuguesa Modatta, que trabalha com dados, foi escolhida pela NOS para receber mentoria no âmbito de um programa de mentoria da Comissão Europeia para aproximar as pequenas e médias empresas com elevado potencial de crescimento a grandes empresas de tecnologia e inovação. A operadora de telecomunicações foi convidada por Bruxelas para fazer parte do Digital Volunteers – Mentors Program e decidiu que os empreendedores da Modatta seriam o melhor alvo de aprendizagem.

A iniciativa europeia conta com a participação de mais de 50 grandes empresas do Velho Continente e abrange auxílios nas vertentes técnica, de negócio e de posicionamento no mercado. No caso particular da Modatta, a intenção é que possa ganhar tração no mercado e otimizar e escalar a infraestrutura de cloud para garantir segurança e flexibilidade e conseguir responder às variações na procura, mantendo a sustentabilidade económica.

Segundo Tiago Ribeiro, diretor de desenvolvimento de negócio B2B da NOS, a operadora “não hesitou em integrar o programa criado pela Comissão Europeia”, além de que a Modatta é “uma empresa que acompanha há algum tempo e que apresenta um modelo de negócio inovador, com uma proposta promissora e muito relevante tanto para as empresas como para os cidadãos”.

Fundada em 2019 pelos amigos e sócios Rodrigo Moretti e Eduardo Pinto Basto, a Modatta criou uma aplicação móvel na qual os utilizadores decidem se querem disponibilizar dados às marcas e que informação é que lhes vão ceder, tendo a oportunidade de receber remuneração por isso, após resposta a campanhas direcionadas ao seu perfil. A ideia é construir a maior base de dados descentralizada, com informações pessoais consentidas, para as marcas segmentarem a sua audiência.

Rodrigo Moretti, cofundador da Modatta, garante que a telecom tem acompanho o percurso da sua empresa desde o início. “Queremos tirar partido do conhecimento e experiência da NOS para fazermos crescer o negócio e acelerar o plano de entrada e expansão de mercado. Temos como objetivo chegar a mais de 250 mil utilizadores em Portugal até o final deste ano e atingir a meta de 1 milhão de utilizadores antes do final de 2022”, afirma.

A ideia da Modatta surgiu em 2018, quando as empresas começaram a implementar o Regulamento Geral da Proteção de Dados. Dois anos depois, fechou uma ronda de investimento pré-seed da sociedade de business angels portuguesa Coreangels, cujo valor não foi tornado público.

Recomendadas

PremiumValérius afasta para já produção da Dielmar em Marrocos

interessada na Dielmar admitiu vir a transferir a produção para Marrocos, porque na Europa a especialização do sector está a desaparecer. CEO admite ao JE que será um processo a dez, 15 anos.

Huawei foi excluída do 5G do Reino Unido devido a pressão americana, diz antigo ministro britânico

“Não teve nada a ver com segurança nacional”, afirma Vince Cable, citado pela Euractiv, contrariando os argumentos invocados por Boris Johnson quando em 220 baniu a empresa chinesa da construção da rede de 5G no país.

NOS distingue-se no combate às alterações climáticas

O CDP – Disclosure, Insight, Action atribuiu pelo segundo ano consecutivo o rating A- à operadora de telecomunicações portuguesa.
Comentários