Nova fábrica de jipes em Estarreja: investimento de 250 milhões vai criar 500 postos de trabalho e produzir 25 mil unidades por ano

A britânica INEOS Automotive – detida por Jim Ratcliffe, a terceira pessoa mais rica do Reino Unido – pretende instalar uma nova fábrica em Estarreja que deverá começar a produzir automóveis todo o terreno no primeiro semestre de 2022. Empresa assina hoje protocolo com a autarquia de Estarreja.

A câmara municipal de Estarreja assina hoje um protocolo com uma empresa britânica para a construção de uma fábrica automóvel. A empresa britânica INEOS Automotive deverá começar a produzir automóveis todo o terreno, equipados com motores da alemã BMW, a partir de 2022 nesta unidade projetada para o distrito de Aveiro.

“É um investimento na ordem dos 250 milhões de euros, vai ocupar uma massa de terreno na ordem dos 350 mil metros quadrados”, disse ao Jornal Económico o autarca de Estarreja, Diamantino Sabina (PSD/CDS), que surge na fotografia à esquerda juntamente com o presidente da INEOS Automotive, Dirk Heilmann, durante a celebração do protocolo esta quarta-feira na câmara de Estarreja.

Esta unidade deverá empregar até 500 trabalhadores quando estiver a produzir na sua máxima capacidade, devendo produzir cerca de 25 mil SUV por ano.

A INEOS Automotive é detida pelo empresário da indústria química Jim Ratcliffe, a terceira pessoa mais rica do Reino Unido, com uma fortuna avaliada em 18,2 mil milhões de libras (21,4 mil milhões de euros), segundo a lista do Sunday Times.

“Penso que ainda este ano avançarão as obras, de forma faseada. O que está previsto é que as primeiras unidades sejam produzidas no primeiro semestre de 2022”, revela Diamantino Sabina. “A construção da unidade não chegará a dois anos. Depois começam os testes de produção, até sair a primeira unidade em 2022”.

O autarca sublinha que esta é uma “unidade industrial muitíssimo moderna em termos tecnológicos. É uma linha de montagem versátil, porque a qualquer altura podem produzir um modelo completamente diferente, até de uma marca diferente. Tem essa capacidade de poder introduzir outros modelos, o que permite à empresa fazer negócios com outras marcas, produzindo outros modelos de outras marcas”.

A história começa no início de 2019 quando a INEOS já se preparava para instalar a fábrica “noutro município” “Mas nós conseguimos arranjar argumentos aqui e mostrar que temos condições. Foi o suficiente para mudarem de ideias. Começámos a namorar e isto deu em casamento”, conta ao JE o autarca de Estarreja.

“Este investimento é importantíssimo para Estarreja, dará um impulso fundamental à economia local e regional. Acredito até que esta unidade industrial será um marco histórico no desenvolvimento económico de Estarreja”, analisa o edil.

Ler mais
Relacionadas

Fábrica de jipes projetada para Portugal está à procura de nome para novo modelo

Inspirado no Land Rover Defender original, o milionário inglês Jim Ratcliffe está a pedir sugestões para o nome do novo todo o terreno que deverá ser tornado público em 2020.

Fábrica de jipes planeada para Estarreja já está à procura de fornecedores em Portugal

A fábrica deverá nascer em Estarreja: um investimento de 300 milhões de euros, que vai criar 600 postos de trabalho, e deverá entrar em produção em 2021. A meta é produzir 25 mil automóveis por ano em Portugal, noticiou o Jornal de Notícias.

Portugal vai ter uma nova fábrica de automóveis: investimento de 300 milhões em Estarreja

O investimento é da empresa privada Ineos, multinacional de produtos químicos do Reino Unido, que criou a empresa portuguesa ‘Amazing Wheels’ em janeiro deste ano. A companhia vai produzir jipes com motores da BMW.
Recomendadas

Prémios ‘Grandes Escolhas’ elegeram os melhores vinhos nacionais de 2019

A entrega destes 30 prémios decorreu, num jantar em Sangalhos, Anadia, numa cerimónia que pretendeu reconhecer os grandes protagonistas do mundo da enologia e da gastronomia nacionais.

SunEnergy instala 345 painéis solares nos Armazéns Reis de Aveiro

Este contrato de autoconsumo com os Armazéns Reis, empresa que se dedica ao comércio e distribuição de materiais de construção, ‘bricolage’, decoração e jardim, vai permitir uma poupança de 15 mil euros em energia, todos os anos.

Secil com expetativas positivas para 2020 no setor do cimento

De acordo com as estatísticas, o mercado de cimentos em Portugal em 2019 terá crescido cerca de 15% comparativamente ao período homólogo.
Comentários