Novabase cessa contrato de liquidez com Haitong Bank

Durante o período em que o Contrato de Liquidez vigorou (de 3 de junho de 2009 a 3 de junho de 2019) foram compradas pelo Haitong 8,9 milhões de ações da Novabase e vendidas outras tantas.

A Novabase SGPS informou esta terça-feira o mercado da cessação do contrato de liquidez celebrado em 8 de maio de 2009 com o Banco Espírito Santo Investimento, cuja denominação social foi, entretanto, alterada para Haitong Bank.

“A cessação do referido Contrato de Liquidez tem por causa a denúncia comunicada pelo Haitong, nos termos do número 2 da Cláusula 4ª do Contrato de Liquidez, por carta datada de 27 de março de 2019”, diz a empresa portuguesa de Tecnologias da Informação, em comunicado.

Durante o período em que o Contrato de Liquidez vigorou (de 3 de junho de 2009 a 3 de junho de 2019) foram realizadas pelo Haitong um total de 19.498 transações sobre ações representativas do capital social da Novabase, o que resultou na aquisição pelo Haitong de mais de oito milhões de ações, na alienação pelo Haitong de um total de 8.942.745 ações, tendo neste âmbito sido paga a quantia total de 26,3 milhões de euros e recebida a quantia total de 26,2 milhões de euros.

A denúncia do contrato de liquidez produziu efeitos na presente data, tendo o último dia de vigência do contrato correspondido ao dia 3 de junho de 2019. Na presente data, a Novabase não detém qualquer saldo em contas junto do Haitong.

Recomendadas

Sindicato preocupado com não renovação de contratos a termo na Autoeuropa

“Fala-se em 120 trabalhadores, mas só na quinta-feira teremos, ou não, confirmação destes números. Estamos preocupados porque há centenas de trabalhadores que estão a terminar os contratos a prazo na Autoeuropa”, alertou o SITESUL.

Associação vê “com agrado” proposta de alargamento dos beneficiários da ADSE

A Associação 30 de Julho, que representa os beneficiários, defende que a extensão deverá abranger de imediato os contrato individuais de trabalho das entidades públicas empresariais do Estado, como o SNS e as autarquias.

Bordado Madeira com quebras de entre 30 a 40% na comercialização

Em 2019, a comercialização chegou aos 545 mil euros mas, este ano, a Secretaria Regional da Agricultura e Desenvolvimento Rural, estima que se fique pelos 300 mil euros.
Comentários