Novas matrículas vão deixar de ter o mês e o ano de registo

Além de Portugal, só as matrículas em Itália é que contêm a data. O Governo justifica a decisão O Governo por a data gerar “interpretações incorretas por parte das entidades fiscalizadoras do trânsito” noutros países europeus.

HO/Reuters

As novas matrículas em Portugal vão deixar de ter o mês e o ano de registo, à semelhança dos restantes países da União Europeia, segundo o decreto-lei publicado em Diário da República esta terça-feira.

O Governo pretende assim efetuar a “harmonização do modelo de chapa de matrícula com o da generalidade dos Estados-Membros da União Europeia, que não apresentam referência à data da primeira matrícula do veículo”.

“É importante mencionar que a referência ao ano e mês de matrícula é única na União Europeia, verificando-se que, atualmente, só em Itália é possível indicar o ano da matrícula”, pode-se ler no documento.

O Governo aponta que a data nas matrículas “gera interpretações incorretas por parte das entidades fiscalizadoras do trânsito de outros Estados-Membros da União Europeia quando os veículos circulam internacionalmente, uma vez que diversos países utilizam a referida solução não para a indicação da data da primeira matrícula do veículo, mas para inscrever a data limite de validade da matrícula, situação comum no caso de matrículas temporárias ou de exportação”.

Quatro letras e dois números. Veja aqui como vão ser as novas matrículas

Ler mais
Recomendadas

“Storytelling para Líderes”. Livro com 18 lições explica a importância da comunicação

“Sentia que o storytelling é uma poderosa ferramenta para inspirar, provocar emoções e influenciar – tudo aquilo de que um líder necessita”, confessa a jornalista Isabel Canha ao JE sobre o lançamento do seu novo livro “Storytelling para Líderes”.

Lacerda Sales sobre a festa do Avante: “DGS não toma decisões políticas, toma decisões técnicas”

O Secretário de Estado da Saúde na habitual conferência de imprensa foi questionado sobre a realização da festa do Partido Comunista e fez questão de frisar que “há muitas mais questões que ainda não conhecemos”.

Portugal com 157 casos de infeção e três mortes por Covid-19

Região de Lisboa e Vale do Tejo regista o número mais elevado de infeções ao dia de hoje, tendo confirmado mais 99 casos em relação aos dados da véspera. O número de casos recuperados em Portugal aumentou para 38.600.
Comentários