Novas matrículas vão deixar de ter o mês e o ano de registo

Além de Portugal, só as matrículas em Itália é que contêm a data. O Governo justifica a decisão O Governo por a data gerar “interpretações incorretas por parte das entidades fiscalizadoras do trânsito” noutros países europeus.

HO/Reuters

As novas matrículas em Portugal vão deixar de ter o mês e o ano de registo, à semelhança dos restantes países da União Europeia, segundo o decreto-lei publicado em Diário da República esta terça-feira.

O Governo pretende assim efetuar a “harmonização do modelo de chapa de matrícula com o da generalidade dos Estados-Membros da União Europeia, que não apresentam referência à data da primeira matrícula do veículo”.

“É importante mencionar que a referência ao ano e mês de matrícula é única na União Europeia, verificando-se que, atualmente, só em Itália é possível indicar o ano da matrícula”, pode-se ler no documento.

O Governo aponta que a data nas matrículas “gera interpretações incorretas por parte das entidades fiscalizadoras do trânsito de outros Estados-Membros da União Europeia quando os veículos circulam internacionalmente, uma vez que diversos países utilizam a referida solução não para a indicação da data da primeira matrícula do veículo, mas para inscrever a data limite de validade da matrícula, situação comum no caso de matrículas temporárias ou de exportação”.

Quatro letras e dois números. Veja aqui como vão ser as novas matrículas

Ler mais
Recomendadas

Ponto por ponto. O que decidiu o Governo sobre a proibição de circulação entre concelhos

Esta quinta-feira, o Governo decretou dois pacotes de medidas: um para todos os concelhos do país e que estará em vigor de 30 de outubro a 3 de novembro e um confinamento para três concelhos do distrito do Porto que entra em vigor já à meia-noite. Saiba o que pode ou não fazer nestes períodos.

Consumidores portugueses preocupados o incumprimento das regras sanitárias nas lojas

Aglomeração de pessoas, afunilamento nas caixas de pagamento, ausência da distância de segurança, funcionários desprotegidos, são algumas das reclamações dos consumidores portugueses preocupados mais preocupados registadas no Portal da Queixa.

“Confinamento? São medidas que deveriam ser aplicadas a outros concelhos”, aponta autarca de Felgueiras

“São medidas que deveriam ser aplicadas a outros concelhos e que vêm no seguimento das projeções para os próximos dias relativamente ao número de infeções nestes concelhos. Guimarães por exemplo tem muito mais casos”, realçou este autarca.
Comentários