Novas regras: Grávidas e idosos podem passar à frente nas filas

A legislação que define as novas regras do atendimento prioritário entra em vigor dois dias depois do Natal e aplica-se aos serviços públicos e privados.

Seja numa repartição de Finanças ou num supermercado, os idosos, pessoas acompanhadas de crianças de colo, grávidas e pessoas com deficiência têm direito a passar à frente na fila.

Prioritários são ainda as pessoas com mais de 65 anos ou com limitações percetíveis e os deficientes com um grau de deficiência igual ou superior a 60%.

Caso, numa mesma fila, se juntem duas ou mais pessoas que reúnem estes requisitos para o atendimento prioritário, este é feito por ordem de chegada, afirma o DN.

As novas regras melhoram a legislação que tinha sido publicada em 2014, uma vez que definem, por exemplo, o limite para uma idade ser considerada “de colo”, explica o DN. E são alargadas a todos os sectores, uma obrigação que até agora apenas tinha de ser cumprida por alguns serviços públicos.

A não observância das novas regras dá direito a multa cujo valor oscila entre os 50 e os 500 euros se a infração for feita por uma pessoas singular e entre 100 e mil euros se o desrespeito da ordem do atendimento for feito por uma empresa.

Constituem excepção, adianta o diário, para os serviços que estão sujeitos a marcação prévia ou nos hospitais e centros de saúde, onde a ordem do atendimento é fixada em função da avaliação clínica.
De fora ficam também as conservatórias quando a prioridade no atendimento possa atribuir uma posição de vantagem.

Ler mais
Recomendadas

Todos os distritos abrangidos pela ARS-Norte diminuem novos casos de Covid-19

Todos os distritos abrangidos pela ARS-Norte diminuíram os novos casos de infeção confirmada com Covid-19 entre as semanas de 19 a 25 de novembro e de 26 de novembro a 2 de dezembro, segundo um relatório consultado pela Lusa.

Covid-19 criou novos sem-abrigo, mas Bruxelas acha exequível acabar com problema até 2030

O comissário europeu Nicolas Schmit afirma que a crise da Covid-19 criou novos sem-abrigo na União Europeia (UE), mas defende ser “exequível” acabar com este problema até 2030, isto se os Estados-membros “se esforçarem” para tirar estas pessoas das ruas.

Costa anuncia este sábado medidas que vão vigorar nos períodos de Natal e de passagem de ano

O primeiro-ministro anuncia este sábado as medidas de combate à Covid-19 enquadradas pelo decreto presidencial de estado de emergência, que indicativamente vigorará até ao dia 7 de janeiro, incluindo os períodos de Natal e da passagem de ano.
Comentários