PremiumNovo Banco e BCP com maior peso de moratórias no crédito a empresas

O Banco de Portugal tem contactado os bancos portugueses para saber de cada situação em relação aos créditos em moratória.

O Banco de Portugal tem contactado as administrações dos bancos portugueses por causa das moratórias de crédito que caducam no dia 30 de setembro, apurou o JE. A maior preocupação do regulador, segundo fonte da banca, são as moratórias dos créditos a empresas, nomeadamente dos sectores mais afectados pela pandemia.
Contactado, o Banco de Portugal não comentou.

Os bancos mais expostos ao crédito a empresas em moratória são o BCP e o Novo Banco. Juntos têm mais de oito mil milhões de euros de crédito a empresas em moratória, dos quais, uma parte expressiva nos sectores mais vulneráveis à pandemia.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumMário Palhares: “BNI e Finibanco Angola continuam empenhados em encontrar uma solução”

O processo de venda do Finibanco Angola a Mário Palhares do Banco BNI, acordado em 2015, acabou. Mas o CEO do banco angolano garante ao JE que o BNI e o Finibanco continuam empenhados em encontrar uma solução.

Hélder Rosalino reconduzido no Banco de Portugal com efeitos retroativos a 2019

Hélder Rosalino tem menos de três anos pela frente na administração do Banco de Portugal porque o Governo reconduziu o ex-governante social democrata, mas com efeitos retroativos a setembro de 2019. O mandato dos administradores do banco central são de cinco anos.

Fitch admite que o malparado dos bancos portugueses vai aumentar em 2022

Rafael Quina antevê que o malparado decorrente de 18 meses de moratória se vai fazer sentir especialmente em 2022. O analista disse ainda que há espaço para aumentar a consolidação bancária o que “ajudaria a melhorar os modelos de negócio da banca portuguesa, no sentido de  aumentar a resiliência e a rentabilidade”. Mas ainda há barreiras a derrubar.
Comentários