Novo Banco fecha agências à hora de almoço durante três meses

Desde o dia 13 de março, um conjunto de transações essenciais aos clientes através dos canais digitais ficaram, temporariamente, isentas de comissões: desde as transferências interbancárias, pagamentos de serviços, cash-advance e transferências MBWay, até às isenções da 1ª anuidade nos novos cartões de débito e pré-pago ou substituições.

Cristina Bernardo

O Novo Banco vai passar a ter fechados os balcões durante a hora de almoço, isto é, entre as 12h e as 13h, assegurando a abertura de toda a sua rede de 356 agências e a operacionalidade de 1.116 caixas multibanco.

Esta decisão entra em vigor já esta segunda-feira e irá manter-se por 3 meses, anuncia o banco.

“Neste período do almoço será assegurado o descanso dos colaboradores e a limpeza e desinfeção adicional do balcão”, revela o instituição financeira.

O Novo Banco quer “garantir a segurança de clientes e colaboradores” e por isso ” mantém o acesso condicionado a 4 pessoas em simultâneo ao balcão sob a coordenação do gerente do balcão.

O pacote de produtos e serviços está a ser ajustado ao momento dominado pela Covid-19. “O Novo Banco disponibiliza, desde a semana passada, um pacote de produtos e serviços destinado a reduzir os riscos inerentes ao contágio”.

Desde o dia 13 de março, um conjunto de transações essenciais aos clientes através dos canais digitais ficaram, temporariamente, isentas de comissões: desde as transferências interbancárias, pagamentos de serviços, cash-advance e transferências MBWay, até às isenções da 1ª anuidade nos novos cartões de débito e pré-pago ou substituições.

“Para satisfazer o previsível aumento de recurso aos meios digitais, o Novo Banco já está a reforçar o suporte tecnológico às transações através de meios eletrónicos de pagamento”, explica a instituição. Estas medidas terão efeito temporário e “visam reduzir drasticamente os pontos de toque e a troca de dinheiro pouco aconselhada neste período”. Este pacote de serviços é apenas destinado aos atuais clientes do Novo Banco, adverte o banco.

A instituição reforçou também a capacidade de atendimento no seu serviço de Banca Telefónica, NBdireto, com o objetivo de apoiar a realização de transações por telefone e sem necessidade de deslocação ao balcão. “Também neste serviço foram isentadas as comissões até 30 de abril para as seguintes transações: Transferências interbancárias; Pagamentos de Serviços e Carregamentos de Telemóveis; e Comissões de cash-advance para a conta DO (Depósitos à Ordem).

Por outro lado, para facilitar a utilização de pagamentos eletrónicos em detrimento da utilização de dinheiro, o Novo Banco lançou outras medidas, válidas até 30 de abril, como a anuidade gratuita do cartão de débito para novos pedidos e para substituições; a anuidade gratuita do cartão pré-pago (NB Pocket) para novos pedidos; a isenção de custos fixos nas transações efetuadas através de TPA (terminais de pagamento automático), permitindo aos comerciantes aceitar pagamentos de valor reduzido sem custos acrescidos.

Adicionalmente serão implementadas medidas como a aprovação comercial do Novo Banco num prazo máximo de 24 horas para os pedidos de crédito na linha de crédito Capitalizar Covid-19, uma linha de crédito com prazo até 4 anos e carência de 12 meses.

Esta prevista a criação de uma linha de conta corrente Novo Banco, dedicada a apoiar os comerciantes e pequenos negócios afetados pelo contexto do ovid-19, com isenção de comissões nos primeiros 6 meses.

O Banco anuncia ainda a isenção de custos do serviço de homebanking NBnetwork até 30 de abril, para novos pedidos.

Ler mais
Recomendadas

Banco Português de Fomento recusa empréstimo de 30 milhões à Groundforce

Para a recusa do empréstimo, o BPF argumentou com a “ausência da aprovação e implementação efetiva por parte da administração da Groundforce, de um plano de reestruturação profundo, que adeque a estrutura de custos à nova realidade de receitas, e à recuperação lenta esperada para o setor da aviação comercial”.

BCI, Millennium Bim e Standard seguem como bancos importantes em Moçambique

No rácio que mede a importância para o setor, rotulada com a sigla inglesa D-SIB, o BCI encabeça a lista com 278 pontos, seguindo-se o Millennium Bim com 257 e o Standard Bank com 159.

ASF inclui elevada exposição a dívida portuguesa nas vulnerabilidades específicas do sector segurador nacional

O supervisor alerta para os “potenciais efeitos adversos”, em caso de alargamento dos spreads dos títulos soberanos nos mercados financeiros, em resultado da elevada concentração patenteada pelas carteiras dos operadores nacionais aos três emitentes soberanos: Portugal, Espanha e Itália.
Comentários