Novo Banco prepara-se para despedir 27% dos seus trabalhadores em Espanha

Além dos despedimentos, o Novo Banco Espanha pretende fechar vários balcões no país, avança a imprensa espanhola.

O Novo Banco prepara-se para despedir 66 dos seus trabalhadores em Espanha, o equivalente a 27% dos seus trabalhadores no país vizinho, avança o El Confidencial esta terça-feira.

O banco detido maioritariamente pelo fundo norte-americano Lone Star conta com um total de 236 trabalhadores em Espanha.

O jornal espanhol cita fontes financeiras, avançando que o Novo Banco propôs aos sindicatos realizar  um “Expediente de Regulácion de Empleo” (ERE), o equivalente a um despedimento coletivo.

Além dos despedimentos, o Novo Banco Espanha pretende fechar vários balcões, dos 18 que detém atualmente no país, de acordo com o jornal.

Segundo o El Confidencial, o Novo Banco não fez comentários.

O banco justificou o despedimento coletivo com a política monetária e o atraso nas expetativas de normalização das taxas de juros.

O Novo Banco Espanha conta com ativos totais de 2.200 milhões de euros, gerando receitas por juros no valor de 38 milhões de euros, e receitas por comissões no valor de 17 milhões, segundo dados da Associação Espanhola de Bancos (AEB). Já as despesas de gestão atingiram os 38,8 milhões de euros.

Já em 2016 o banco tinha realizado outro despedimento de trabalhadores em larga escala: 125 funcionários.

Ler mais
Recomendadas

Parlamento anula transferência de 476,6 milhões do Fundo de Resolução para Novo Banco

O Orçamento de Estado acaba de aprovar a bandeira do Bloco de Esquerda de impedir a injeção do Fundo de Resolução dos 476,6 milhões de euros para o Novo Banco. Esta medida deixa o banco numa situação delicada para cumprir os compromissos de limpeza do balanço assumidos com Bruxelas.

AHRESP diz que Programa Apoiar pode não ser acessível a 58% do setor da restauração

A condição obrigatória que as entidades disponham de contabilidade organizada, é um requisito que pode impedir o acesso a 58% das empresas da restauração e bebidas, que são Empresários em Nome Individual (ENI), na sua esmagadora maioria inscritos no Regime Simplificado”, diz a Associação.

Mário Ferreira lança OPA sobre 70% da Media Capital. Paga 0,67 euros por ação

Na sequência de uma deliberação da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a Pluris Investments, de Mário Ferreira, lançou uma OPA obrigatória sobre a totalidade do capital que não controla na dona da TVI.
Comentários