PremiumNovo Banco tem três propostas de compra para a Herdade do Pinheirinho

O Novo Banco já recebeu, pelo menos, três propostas não vinculativas para a Herdade do Pinheirinho. Entretanto o prazo para a entrega das propostas vinculativas para o “Nata 2” passou para dia 12.

O Novo Banco já recebeu três propostas não vinculativas (non-binding offers) para a compra da Herdade do Pinheirinho, sabe o Jornal Económico. Esses três candidatos já assinaram o Non-Disclosure Agreement (acordo de confidencialidade que é condição para dar acesso à informação detalhada). Mas há pelo menos mais um interessado, o empresário brasileiro Ricardo Bellino, em parceria com o grupo Ralph Lauren, que assumiu recentemente o interesse em declarações à revista Visão.

Apesar da apresentação de propostas estar vinculada a um acordo de confidencialidade, o empresário brasileiro Ricardo Bellino, em parceria com o grupo Ralph Lauren, anunciou à Visão que está na corrida à compra do Pinheirinho, com uma proposta cujo investimento ronda os 100 milhões de euros. O empresário brasileiro explicou que o projeto imobiliário teria três focos: golfe, equitação e cultura.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Confederações empresariais escrevem a Centeno para intervir nos seguros de crédito

Algumas confederações já se tinham queixado que as seguradoras de crédito estavam a reduzir as coberturas contratadas pelas empresas. Cinco confederações empresas escrevem agora ao ministro das Finanças a pedir para intervir e garantir seguros para risco de crédito, nomeadamente à exportação para não comprometer a fluidez das trocas comerciais. Produtos químicos e farmacêuticos, alimentar ou a construção, são alguns dos setores que precisam urgentemente de manter ou reforçar estes seguros, para evitar paragem abrupta da atividade.

Presidente do Novo Banco sobre ida ao Parlamento: “Será uma audição curiosa”

“Como nem os bónus foram pagos nem os aumentos [salariais da administração] existiram, será uma audição curiosa”, reagiu António Ramalho depois do Parlamento ter aprovado por unanimidade a sua audição.

Presidente do Novo Banco e governador do Banco de Portugal vão ser chamados ao Parlamento

Requerimento do PAN aprovado por unanimidade pela Comissão de Orçamento e Finanças levará a que António Ramalho e Carlos Costa respondam às perguntas dos deputados em meados de junho. Em causa está a decisão de atribuir bónus aos gestores do Novo Banco apesar dos prejuízos e dos 850 milhões de euros injetados “de forma apressada” pelo Fundo de Resolução.
Comentários