Novos comboios para a CP só devem chegar em 2023

Plano de investimento está à espera de aprovação pelo Governo e implica um investimento de 170 milhões de euros.

Carlos Gomes Nogueira, presidente da CP, assegurou há minutos, na audição que está a decorrer na Assembleia da República, na Comissão Parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas, que os novos comboios que serão adquiridos para a transportadora ferroviária nacional só deverão entrar em funcionamento em 2023, na melhor das hipóteses.

“O conselho de administração da CP apresentou ao Governo um plano de investimento para aquisição de material circulante no valor de 170 milhões de euros. Estamos à espera da aprovação do Governo a qualquer momento, para abrir o concurso público internacional”, revelou Carlos Gomes Nogueira.

Sobre este assunto, o presidente da CP adiantou que estão em causa 22 unidades para o serviço regional, das quais híbridas, para funcionar em troços eletrificados e não eletrificados, mais dez unidades elétricas.

“Estamos a falar há muito tempo, em conversas detalhadas com os cinco fabricantes europeus de material circulante ferroviário, os alemães da Siemens, os franceses da Alstom, os suíços da Stadler e os espanhóis da CAF e da Talgo. Temos feito o nosso trabalho de casa. Mas, neste momento, o primeiro comboio comprado só deverá estar em funcionamento em 2023”, revelou Carlos Gomes Nogueira.

O presidente da CP explicou como é que situação degradada do material circulante da transportadora ferroviária vai ser resolvida: “como é que vamos viver até lá, até 2023, 2024? Vamos intensificar os alugueres de comboios à Renfe”, assegurou.

Recomendadas

Sindicato dos Maquinistas critica falta de explicações da IP

Apesar das fortes críticas à IP, o SMAQ garante que se vai abster de fazer mais declarações sobre este assunto, preferindo aguardar, “serenamente, e confiante na competência do GPIAFF, pelo relatório final”.
cais do sodré, pink street

PME dizem que novas medidas do Governo “são de bradar aos céus”

“As últimas medidas anunciadas pelo Governo para as Micro, Pequenas e Médias Empresas são de bradar aos céus”, afirma em comunicado a CPPME, acrescentando que “a permissão para os bares noturnos e as discotecas poderem abrir das 08:00 às 20:00, em serviço de pastelaria, só pode ser uma brincadeira de mau gosto”.

Rede da Câmara de Comércio e Indústria retoma prospeção de mercados em setembro

Estão previstas missões empresariais à Sérvia, Marrocos, Polónia, Azerbaijão e Costa do Marfim,
Comentários