‘Número 3’ do grupo El Corte Inglés demite-se por desavenças com a presidente

No centro dos desentendimentos entre o demissionário, Jesús Nuño de la Rosa, e a presidente executiva, Marta Álvarez, está o incumprimento do El Corte Inglés não ter cumprido os planos estratégicos delienados em 2018, como a reestruturação e a profissionalização do grupo espanhol.

Chegou a ser o ‘número 1’ do l El Corte Inglés, mas abandonou hoje todos os cargos que tinha no grupo empresarial espanhol. Jesús Nuño de la Rosa era atualmente conselheiro executivo e liderava diversas filiais do El Corte Ingés, nomeadamente os segmentos de negócios das viagens, de crédito e informática, mas não resistiu aos conflitos que tinha com Marta Álvarez, presidente executiva e maior acionista do grupo espanhol, noticia o “El Economista“.

O El Corte Inglés comunicou ao mercado ter-se tratado de uma saída voluntária que se deu depois de um acordo entre Jesús Nuño de la Rosa e Marta Álvarez.

Mas a publicação espanhola relata que as discórdias entre os dois surgiram porque o grupo cumpriu com os planos de profissionalizar o grupo nem executou a reestruturação, que pressuponha a venda de cerca de duas dezenas de centros comerciais.

Estes planos tinham sido delineados em agosto de 2018, depois de Marta Álvarez, juntamente com a sua irmã Cristina, terem forçado a saída da presidência executiva do primo, Dimas Gimeno. Sucedeu-lhe Jesús Nuño de la Rosa durante menos de um ano, tendo sido substituído por Marta Álvarez em junho de 2019.

 

Relacionadas

Construção do El Corte Inglès gera indignação no Porto

Caso a empresa espanhola instale nestes terrenos o centro comercial isso teria como consequência a “destruição deste valiosíssimo património”, lamentam.

El Corte Inglés bate recorde de vendas em Portugal com 506 milhões de euros em 2018

Filial portuguesa do El Corte Inglés registou uma melhoria geral nos indicadores, obtendo lucros de 29 milhões de euros. Marcas próprias de roupa feminina e novos espaços dedicados a marcas internacionais de prestígio contribuíram para os bons resultados.
Recomendadas

Mutualista diz que fusão do Montepio com BCP colide com os interesses dos associados

“O Banco Montepio dispõe de soluções de capital ajustadas às suas necessidades e encontrará o seu próprio caminho de estabilização”, garante a instituição liderada por Virgílio Lima. “Uma fusão desta natureza corresponderia à sua descaracterização, algo que colide com os interesses da Associação e dos associados”, defendem.

Grupo Os Mosqueteiros investe 25,3 milhões para abrir mais seis lojas Intermarché em Portugal

Este investimento irá permitir a criação de 265 novos postos de trabalho de norte a sul do país, asseguram os responsáveis do grupo francês de distribuição.

Tribunal espanhol adia audições dos responsáveis do CaixaBank sobre compra do BPI

Segundo a agência Efe, problemas técnicos impediram a audição telemática do presidente da Criteria e ex-presidente do CaixaBank. O julgamento que está em curso desde 2018 decorre de uma queixa de acionistas minoritários que se sentiram lesados com algumas operações inerentes à compra do BPI em 2017.
Comentários