Número de pré-avisos de greve em 2018 foi o mais alto dos últimos três anos

No ano passado entraram 733 pré-avisos de greve no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, mais 120 do que em 2017 e mais 245 do que em 2016.

Cristina Bernardo

O número de pré-avisos de greve em 2018 foi o mais alto dos últimos três anos, totalizando 733, revelam os dados publicados pela Direção-Geral do Emprego e das Relações do Trabalho (DGERT).

No ano passado entraram 733 pré-avisos de greve no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, mais 120 do que em 2017 e mais 245 do que em 2016.

É preciso recuar a 2015 para encontrar um número mais elevado de pré-avisos de greve comunicados (811) do que o registado em 2018. Porém, os números estão longe do verificado em 2012 e 2013, durante o governo de Pedro Passos Coelho, em pleno programa de ajustamento, quando atingiram 1.895 e 1.534, respetivamente.

Do total de greves comunicadas no ano passado, a maioria (468) ocorreu fora do âmbito do setor empresarial do Estado, sendo o segundo semestre o que registou mais paralisações (406).

Os protestos aumentaram no final do ano, nomeadamente a partir de outubro, mês em que o Governo entregou o Orçamento do Estado na Assembleia da República.

O mês mais “quente” foi dezembro, com um total de 127 pré-avisos de greve, seguindo-se novembro (95) e outubro (83).

Já os meses em que houve menos greves foram setembro (23), fevereiro (29) e janeiro (32).

No ano passado, foram abertos 146 processos de serviços mínimos, tendo sido decretados 67 por acordo, 45 por decisão arbitral e 34 por despacho.

Ler mais
Recomendadas

Portugal registou mais de 150 mil ataques informáticos em abril

A empresa de cibersegurança Kaspersky revela que os «ataques de força bruta» aumentaram durante o período de confinamento/quarentena.

Emigrantes querem verão em Portugal e estão a optar por entradas terrestres

A agência Lusa contactou conselheiros das comunidades na Alemanha, França e Suíça, tendo de todos obtido a garantia que é propósito destes emigrantes visitar a família e os amigos em Portugal.

Caso BES: Ministério Público espera ainda usar provas da Suíça no julgamento

Segundo o Público, os procuradores esperam que as provas pedidas às autoridades suíças possam ser ainda adicionados até ao julgamento, uma vez que entre a acusação, que deverá estar pronta até 16 de julho, e o julgamento deverá decorrer um ano.
Comentários