Nuno Fernandes Thomaz reeleito presidente da Centromarca

O gestor que é também sócio da sociedade de capital de risco Core Capital e administrador da Sogepoc foi reeleito Presidente da Centromarca – Associação Portuguesa de Empresas de Produto de Marca para o triénio 2021 a 2023.

Sara Matos

Nuno Fernandes Thomaz foi reeleito presidente da Centromarca – Associação Portuguesa de Empresas de Produto de Marca para o triénio 2021-2023. O gestor de 52 anos, que foi vice-presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD), foi reconduzido para o segundo mandato após Assembleia Geral eleitoral, que decorreu nesta quarta-feira.

A nova direção é composta por 14 representantes de empresas associadas, com destaque para a integração de Sandra Vera Cruz, da Coca-Cola, Natanel Baptista, da Delta Cafés, e Paulo Pereira da Silva, da Renova, que aportam maior diversidade de género e mais portugalidade do ponto de vista de marca.

Os novos órgãos sociais eleitos para o próximo mandato têm como presidente da Mesa da Assembleia Geral, António Trigueiros de Aragão, Administrador das Fábricas Lusitana, e como presidente do Conselho Fiscal, João Potier, Diretor-Geral da Mundiarroz.

Em comunicado, Nuno Fernandes Thomaz define como prioridades para o novo mandato “a condução do processo de transposição para o direito nacional da Diretiva Unfair Trading Practices (práticas comerciais desleais); a correta implementação das alterações ao diploma PIRC – Práticas Individuais Restritivas do Comércio; o reforço das garantias de compliance que rodeiam a atividade da associação, bem como a interação com as empresas associadas; e o alargamento da representatividade da Centromarca através da captação de novos associados e da progressiva entrada em novas áreas de negócio”.

Segundo a associação, o objetivo é o de continuar a contribuir para a construção de um ecossistema de marcas justo, sustentável e competitivo.

“Renovo o meu mandato com um agradecimento especial aos associados da Centromarca pela confiança demonstrada no trabalho desta direção. O compromisso é o mesmo de há três anos, mas com a consciência de que temos pela frente uma conjuntura muito mais complexa e exigente. A situação pandémica está a deixar marcas profundas na sociedade e nos vários setores da nossa economia, e apesar da confiança na recuperação pós-covid-19, os próximos anos estarão ainda rodeados de muita incerteza”, diz o gestor.

“As empresas associadas da Centromarca não fogem a este quadro, embora tenham mostrado uma enorme resiliência ao longo dos últimos meses, e sabem que podem contar com a colaboração e o apoio da associação para minimizar o impacto desta crise”, refere Nuno Fernandes Thomaz.

Nuno Fernandes Thomaz é ainda sócio da sociedade de capital de risco Core Capital e administrador da Sogepoc. Foi CEO do Grupo ASK e vice-presidente executivo da CGD, entre outros.

Ler mais
Recomendadas

Média não perderam importância e procura de notícias é alta, aponta estudo

De acordo com o estudo, os meios de comunicação lidaram “razoavelmente” com o digital e encontraram forma de manter um “bom nível” de desempenho, apesar dos desafios económicos, políticos e tecnológicos.

“Liga Portugal rompeu, unilateralmente, o acordo que tinha com a Betano”, acusa casa de apostas sobre naming da Liga

Em declarações remetidas ao JE a propósito da escolha da Bwin para o naming da Liga, a Betano diz não conseguir compreender “como é que a Liga Portugal rompe, unilateralmente, o acordo que tinha com a Betano e aceita uma proposta de outro investidor para o mesmo ativo sem nos ter informado”.

5G: NOS vai avançar com providência cautelar contra alteração das regras do leilão

A NOS vai avançar com uma providência cautelar contra a alteração das regras do leilão propostas pelo regulador Anacom, disse à Lusa a administradora executiva Filipa Carvalho, no dia em que termina o prazo para as operadoras responderem.
Comentários