O Benefício afirma-se enquanto Laboratório de Inovação

Dário e Marta Pimpão, os mestres licoristas da Oppidum aliam-se agora à editora Benefício para produzirem uma edição Premium do Licor de Ginja (edição Óbidos).

A parceria que o Benefício e a Oppidum lançam será estrutural para as duas empresas, e tem como objetivo fundamental proporcionar retorno ao produtor e editora que conseguiram acrescentar valor ao produto, na edição Óbidos.

A validação deste laboratório de inovação leva exemplares para a Godiva, no Porto, a primeira casa onde se vai poder encontrar a 2ª série deste produto. De referir que estas séries deixam de ter a possibilidade da customização com o nome do comprador. “No fundo, estamos perante uma abordagem semelhante às das serigrafias das obras de arte”, explica a startup em comunicado.

O ‘Beautiful Business’ é um sistema colaborativo de criação de valor que consiste na troca de informações assentes em valores humanos quando associados à tecnologia. Paulo Fernandes e Ricardo Nunes, cofundadores, afirmam que “O Benefício é um agregador e um curador. “Queremos provar que é possível criar produtos com alto valor acrescentado, sem esmagar quem cria e produz”.

Fórmula para um impacto social, ambiental e económico positivo. Ao mesmo tempo, e de forma a complementar a arquitetura e estruturação do ‘Beautiful Business’, O Benefício será a primeira marca portuguesa a fazer parte da plataforma Pop the Bubble, onde se pode já encontrar 2ª edição do Benefício – a mochila Benefício, edição Beltimore. Esta cooperação vem gerar sinergias entre players com pensamento e filosofia semelhantes.

De recordar que O Benefício inciou a sua atividade no final de outubro de 2016 com uma equipa de dois fundadores e 10 colaboradores, incluíndo outras empresas. Incubada na Startup Lisboa tem a sua sede no OBITEC (Parque Tecnológico de Óbidos).

Recomendadas

Universidade da Madeira conquista segundo lugar em concurso nacional de empreendedorismo

O Palmito do Atlântico é um projeto voltado para a sustentabilidade e para a economia circular, alinhado com os 17 objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU.

PremiumNFTs: os cromos desportivos que valem milhões

A área de ‘sports tech’ está a crescer e há startups portuguesas, como a RealFevr, que se estão a posicionar para liderar a nível mundial com apostas que juntam o talento de futebolistas e de profissionais de topo da área do digital.

Reatia, a startup de Leiria que juntou algoritmos à venda de casas

“Somos uma startup de Leiria e, por isso, a nossa sede continua a ser, orgulhosamente, nesta cidade”. É desta forma que o empreendedor português Hugo Venâncio, que em 2019 fundou a tecnológica Reatia, começa por explicar ao Jornal Económico (JE) que as raízes da Beira Litoral não se perdem apesar das provas que esta empresa […]
Comentários