OE2018: IUC volta a aumentar 

Tal como acontece com o ISV, a proposta de lei do Orçamento do Estado de 2018 prevê um aumento do Imposto Único de Circulação. Todos os veículos passarão a pagar mais 1,4%, a mesma percentagem de aumento que se verifica no ISV. O Executivo mexe nas isenções, alargando-as aos veículos dedicados ao transporte de doentes. 

A proposta de lei do Orçamento do Estado de 2018, que esta sexta-feira deverá ser entregue na Assembleia da República, contempla um agravamento do Imposto Único de Circulação (IUC), maior do que o registado no OE 2017.

À semelhança do que acontece com o Imposto Sobre Veículos (ISV), o agravamento do “selo do carro” será de 1,4%, de acordo com a versão preliminar do Orçamento do Estado a que o Jornal Económico teve acesso, não havendo distinções entre ano de matrícula.

Os únicos “beneficiados” com a nova proposta de lei são os veículos mais recentes. Todos os veículos matriculados a partir de 1 de janeiro de 2017 continuam a pagar a taxa adicional, mas este ano pagam menos. Assim, se o veículo emitir entre 180 e 250 g/km de CO2, pagará um adicional de 28,92 euros, menos 9,16 euros do que atualmente. Os mais poluentes, com emissões acima dos 250 g/km de CO2, pagarão em 2018 um adicional de 58,04 euros, uma descida de 7,20 euros face ao que foi pago em 2017.

Além de mexer no imposto a pagar, a versão preliminar da proposta de Orçamento de Estado alarga as isenções do pagamento de IUC aos “veículos dedicados ao transporte de doentes nos termos da regulamentação aplicável”.

Relacionadas

Fisco cobra IUC duas vezes e multa contribuinte

Erro informático ou anulação inadvertida por parte do contribuinte podem estar na origem do sucedido, segundo as Finanças.
Recomendadas

Floresta diversificada resiste melhor a fogos e secas, revela estudo

Investigadores liderados pelo biólogo William Anderegg, da Universidade de Utah, nos Estados Unidos, concluíram que uma floresta com uma grande variedade de árvores e de características diversas relacionadas com o fluxo da água sofre menos com os períodos de seca.

Superbrands: há uma marca portuguesa entre as 10 preferidas pelos consumidores

Dentro dos setores avaliados, aqueles mais relevantes são os de motores, eletrónica e moda de consumo, superfícies comerciais e desporto.

Prozis Tech Maia vai representar investimento superior a 15 milhões de euros

Já está em curso o processo de recrutamento para a entrada imediata de 300 colaboradores, sobretudo nas áreas da programação e dos sistemas informáticos.
Comentários