“Olhar além do fogo”, o futuro da floresta em debate hoje na Nova

Após o ano mais trágico, um debate sobre o futuro das nossas florestas proporciona o arranque da terceira edição do ciclo de conferências Economia Viva que decorre na Universidade Nova de Lisboa esta semana.

O ciclo de conferências Economia Viva, que decorre na Universidade Nova de Lisboa esta semana, arranca esta segunda-feira às 18 horas, com um debate sobre o tema “Olhar além do fogo: a nossa florestas”.

O ciclo, no qual o Jornal Económico é media partner,  é organizado pelo Clube de Economia e a pela Associação de Estudantes, e abrange debates sobre temas nacionais e internacionais e que tocam vários aspetos da economia, da banca ao mercado de trabalho, da participação ao crescimento.

A sessão de segunda-feira, que terá lugar, como as restantes, no Campus de Campolide, terá como participantes Tiago Oliveira, presidente da Estrutura de Missão para a instalação do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais; Cidália Rosa Ferreira, presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, e Clemente Manuel Pedro Vicente Nunes, docente no Instituto Superior Técnico.

Relacionadas

Dos incêndios ao Lehman, há debates toda esta semana sobre a ‘Economia Viva’ na Nova

A terceira edição anual do ciclo de conferências Economia Viva, organizada pelo Clube de Economia e a Associação de Estudantes da Universidade Nova, decorre de 19 a 23 de fevereiro no ‘campus’ de Campolide.
Recomendadas

Coronavírus: Comissão Europeia diz que União Europeia está “muito bem preparada” para conter surto

A comissária europeia da Saúde disse esta quarta-feira que a maioria dos Estados-membros da União Europeia (UE) está “muito bem preparada” para lidar com o novo coronavírus chinês, mas admitiu “financiamento de emergência” para os países darem resposta se necessário.

Contratos de reabilitação urbana atingem 576 milhões de euros de investimento

Após a reabilitação prevista com o programa IFFRU 2020, 83 destes edifícios terão uso habitacional, sendo os restantes 107 destinados a atividades económicas e 10 a equipamentos de utilização coletiva e na área social.

Atendimento descentralizado às comunidades portuguesas vai crescer 20% este ano

egundo uma nota divulgada hoje pelo gabinete da secretária de Estado das Comunidades Portuguesas, as permanências consultares vão ser realizadas através de 64 postos consulares que irão abranger 234 localidades em todos os continentes.
Comentários