“Olhar além do fogo”, o futuro da floresta em debate hoje na Nova

Após o ano mais trágico, um debate sobre o futuro das nossas florestas proporciona o arranque da terceira edição do ciclo de conferências Economia Viva que decorre na Universidade Nova de Lisboa esta semana.

O ciclo de conferências Economia Viva, que decorre na Universidade Nova de Lisboa esta semana, arranca esta segunda-feira às 18 horas, com um debate sobre o tema “Olhar além do fogo: a nossa florestas”.

O ciclo, no qual o Jornal Económico é media partner,  é organizado pelo Clube de Economia e a pela Associação de Estudantes, e abrange debates sobre temas nacionais e internacionais e que tocam vários aspetos da economia, da banca ao mercado de trabalho, da participação ao crescimento.

A sessão de segunda-feira, que terá lugar, como as restantes, no Campus de Campolide, terá como participantes Tiago Oliveira, presidente da Estrutura de Missão para a instalação do Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais; Cidália Rosa Ferreira, presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, e Clemente Manuel Pedro Vicente Nunes, docente no Instituto Superior Técnico.

Relacionadas

Dos incêndios ao Lehman, há debates toda esta semana sobre a ‘Economia Viva’ na Nova

A terceira edição anual do ciclo de conferências Economia Viva, organizada pelo Clube de Economia e a Associação de Estudantes da Universidade Nova, decorre de 19 a 23 de fevereiro no ‘campus’ de Campolide.
Recomendadas

Black Friday. Televisões e smartphones são os produtos mais adquiridos pelos portugueses

Nas primeiras doze horas da Black Friday as regiões de Lisboa e Porto são as que estão a registar uma maior corrida às compras pelos consumidores seguidas por Setúbal, Aveiro, Braga e Coimbra.

Parlamento aprova fim de cortes nas pensões antecipadas para pessoas com incapacidade acima de 80%

O parlamento aprovou esta sexta-feira o fim do corte do fator de sustentabilidade e da penalização por antecipação da idade da reforma para as pessoas com deficiência ou grau de deficiência igual ou superior a 80%.

Trabalhadores da Transtejo marcam nova greve parcial entre 20 e 23 de dezembro

Em comunicado hoje divulgado, a Federação dos Sindicatos dos Transportes e Comunicações (Fectrans) revelou que os trabalhadores da transportadora fluvial, reunidos na quarta-feira, decidiram pedir reuniões tanto à administração da empresa como ao Ministério do Ambiente, que tutela os transportes urbanos, além de uma nova paralisação parcial.
Comentários